A educação de adultos na América Latina

projetos societários subjacentes em um emaranhado de denominações

Autores

  • Adriana Medeiros Farias Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Maria Nilvane Fernandes Universidade Federal do Amazonas
  • Giovan Nonato Rodrigues Soriano Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2023v15n37pe16528

Palavras-chave:

América Latina, UNESCO, Educação de Adultos

Resumo

O artigo verifica as mudanças promovidas pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) na definição de uma agenda política para a Educação de Adultos na América Latina. A partir de uma análise documental, referenciada no materialismo histórico-dialético, observou-se que o emaranhado de denominações indica um alinhamento com as contrarreformas neoliberais que estão sendo enfrentadas pelos movimentos e organizações sociais mantendo os princípios contra sistêmicos da Educação Popular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Medeiros Farias, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Professora Associada do Departamento de Educação da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Mestre e Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (FE/Unicamp). Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Educação, Estado Ampliado e Hegemonias (GPEH).

Maria Nilvane Fernandes, Universidade Federal do Amazonas

Bolsista do CNPq Edital n.º 026/2021 para cursar pós-doutoramento na Texas Tech University – TTU – período 2022 a 2024. Processo número: 200864/2022-0. Professora Adjunta da área de Fundamentos da Educação no Curso de Pedagogia e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Mestre e Doutora em Educação (UEM), Mestre em adolescente em conflito com a lei (UNIBAN/SP); Doutorado Sanduíche no Instituto de Educação da Universidade de Lisboa/Portugal (2017). Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Estado, Políticas Educacionais e Infância (GEPPEIN/CNPq). Líder do Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão sobre Políticas, Educação, Violências e Instituições (GEPPEvi). http://lattes.cnpq.br/3429086275125541 http://orcid.org/0000-0002-3420-2714 nilvane@gmail.com

Giovan Nonato Rodrigues Soriano, Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Doutorando e Mestre em Educação (UFAM). Professor na Secretaria Municipal de Educação –SEMED/MANAUS. Integrante do Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão sobre Políticas, Educação, Violências e Instituições (GEPPEvi/UFAM) e do Grupo de Pesquisa em Educação, Estado Ampliado e Hegemonias (GPEH/UEL). E-mail: giovan.soriano@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-6361-4013 http://lattes.cnpq.br/5131278275065176

Referências

ALMEIDA, Jane. The education throughout life: a proposals post-modern. SciELO Preprints, 2023. DOI: 10.1590/SciELOPreprints.5231. Acesso em: 19 ago. 2023. Disponível em: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/5231. (2023).

ARGENTINA. Resolución CFE N° 118, de 30 de septiembre de 2010. Disponível em: https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/siteal_argentina_0904.pdf. Acesso em: 19 ago. 2023. (2010).

ARGENTINA. Ley n° 26.206 de 2006: ley de educación nacional. Disponível em: https://www.argentina.gob.ar/sites/default/files/ley-de-educ-nac-58ac89392ea4c.pdf. Acesso em: 19 ago. 2023. (2006).

BOLÍVIA. Las voces de los actores de EPJA: avances desafíos y nuevas políticas hacia la agenda 2030 para la educación de personas jóvenes y adultas en Bolivia. La Paz. 2022. Acesso em: 19 ago. 2023. Disponível em: https://www.minedu.gob.bo/files/publicaciones/minedu/Libro_Voces_4.pdf. (2022).

BOLÍVIA. Currículo Base de la Educación de Personas Jóvenes y Adultas. La Paz. 2012. Acesso em: 19 ago. 2023. Disponível em: https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/bo_0271.pdf. (2012).

BOLÍVIA. Ley n.° 070. Ley de la Educación Avelino Siñani - Elizardo Pérez: Marco filosófico y político de la educación boliviana. Acesso em: 19 ago. 2023. Disponível em: https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/siteal_bolivia_0258.pdf. (2010).

BOLÍVIA. Decreto Supremo nº 4, 11 de febrero de 2009: crea el Programa Nacional de Post Alfabetización - PNP Yo, Sí Puedo Seguir. Disponível em: https://www.lexivox.org/norms/BO-DS-N4.html. Acesso em: 19 ago. 2023. (2009).

BOLÍVIA. Decreto Supremo n.° 28675, de 13 de abril de 2006: establece el programa nacional de alfabetizacion Yo Si Puedo. Acesso em 19 ago. 2023.Disponível em: https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/10282.pdf. (2006).

BOLÍVIA. Código de la educación boliviana, de 20 de janeiro de 1955. Disponível em: https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/codigo-educacion-boliviana-1955.pdf. Acesso em: 19 ago. 2023. (1955).

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Educação popular. São Paulo: Brasiliense, 1984. (1984).

BRASIL. Parecer CNE/CEB nº 1/2021: reexame do Parecer CNE/CEB nº 6, de 10 de dezembro de 2020, que tratou do alinhamento das Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) apresentadas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), e outras legislações relativas à modalidade. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=180911-pceb001-21&category_slug=abril-2021-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 15 set. 2023. (2021).

CALLE2. Como a Bolívia acabou com o analfabetismo. Publicado em: 03 ago. 2016. Disponível em: http://calle2.com/como-a-bolivia-acabou-com-o-analfabetismo/. Acesso em: 15 out. 2023. (2016).

CHILE. Decreto 332, 27 de septiembre de 2011: determina edades mínimas para el ingreso a la educación especial o diferencial, modalidad de educación de adultos y de adecuaciones de aceleración curricular. Acesso em: 23 ago. 2023. Disponível em: https://www.bcn.cl/leychile/navegar?idNorma=1035868&idParte=9223825. (2011).

CHILE. Constitución Política del Estado. Santiago, 17 de septiembre de 2005. Disponível em: https://tcpbolivia.bo/tcp/sites//default/files/pdf/normas/cpe/cpe.pdf. Acesso em: 23 ago. 2023. (2005).

COLÔMBIA. Lineamientos generales y orientaciones para la educación formal de personas jóvenes y adultas en Colombia. 2017. Acesso em 23 ago. 2023. Disponível em: https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/11142.pdf. (2017).

COLÔMBIA. Constitución Política de la República de Colombia. Bogotá, D. E., julio 6 de 1991. Acesso em: 23 ago. 2023. Disponível em: https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/siteal_colombia_2000.pdf. (1991).

COOMBS, Philip H. A crise mundial da educação: uma análise de sistemas. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1976. (1976).

COSTA RICA. Ministerio de Salud. Plan estratégico nacional de salud de las personas adolescentes 2010-2018. 1. ed. San José, Costa Rica: El Ministerio, 2010. Acesso em: 02 set. 2023. Disponível em: https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/6338.pdf. (2010).

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez, 1998. (1998).

EQUADOR. Constitución de la República del Ecuador. Quito, 20 out. 2008. Disponível em: https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/siteal_ecuador_6002.pdf Acesso em: 02 set. 2023. (2008).

FAURE, Edgar. Aprender a ser. São Paulo: Livraria Bertrand, 1972. (Difusão Europeia do Livro). (1972).

FONTES, Virgínia. As lutas de classes vistas pelo seu avesso: a subversão reacionária. Classes. Rev. Práxis e Heg Popular. Marília, SP v.6 n. 8 p. 57-80 Jun/2021. Acesso em: 15 mar. 2022. https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/PHP/article/view/12812. (2021).

FONTES, Virgínia. O Brasil e o Capital-Imperialismo: teoria e história. Rio de Janeiro: EPSJV/ UFRJ, 2010. (2010).

FLORES, Gloria Hernández; GALVEZ, María Eugenia Letelier; ORTEGA, Sara Elena Mendoza. A situação da EPJA na América Latina e no Caribe: em contexto de pandemia resumo executivo, recomendações e linhas estratégicas. Campanha Latino-Americana pelo Direito à Educação (CLADE). dez, 2021. Disponível em: https://www.ce.ufpb.br/catedraunescoeja/tag-documento-america-latina.html. Acesso em: 13 out. 2023. (2021).

GOHN, Maria da Glória. Teoria dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. São Paulo: Loyola, 1997. (1997).

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Crítica da educação e do ensino. Lisboa: Moraes, 1978. (1978).

MÉSZÁROS, István. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2005. (2005).

MÉXICO. Ley General de Educación: se amplía la ley general de educación y se deroga la ley general de infraestructura física educativa. (2019). Disponível em: https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/10039_0.pdf Acesso em: 02 set. 2023. (2019).

MÉXICO. Constitución Política de los Estados Unidos Mexicanos. (1917). Disponível em: https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/10288.pdf Acesso em: 02 set. 2023. (1917).

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Educação para além do capital. Educ. & Soc., Campinas, v. 27, n. 97, p. 1373-1376, set./dez. 2006. Acesso em: 15 set. 2023. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/8CN7gP9qHV9xZBRsXxSz68N/#. (2006).

PAIVA, Jane. Direito à educação de jovens e adultos: concepções e sentidos. GT: Educação de Pessoas Jovens e Adultas. n. 18. Disponível em: http://29reuniao.anped.org.br/trabalhos/trabalho/GT18-2553--Int.pdf. Acesso em: 15 set. 2023. (2006).

PALUDO, Conceição. Educação Popular como resistência e emancipação humana. Cad. Cedes, Campinas, v. 35, n. 96, p. 219-238, maio-ago., 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ccedes/a/CK6NyrM6BhKXbMmhjrmB3jP/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 15 set. 2023. (2015).

PIERRO, Maria Clara Di. Educação de Jovens e Adultos na América Latina e caribe: trajetória recente. Cadernos de Pesquisa, v. 38, n. 134, maio/ago. 2008. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-15742008000200006. Acesso em: 15 set. 2023. (2008).

PIERRO, Maria Clara Di; JOIA, Orlando; RIBEIRO, Vera Masagão. Visões da educação de jovens e adultos no Brasil. In: Cad. CEDES 21, n. 55. nov. 2001. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0101-32622001000300005. Acesso em: 15 set. 2023. (2001).

POROLONICZAK, Juliana Aparecida. História e fundamentos do método de alfabetização cubano Yo, si Puedo. (Tese, Educação). Araraquara, SP: UNESP, 2019. Disponível em: https://mst.org.br/download/doutorado-historia-e-fundamentos-do-metodo-de-alfabetizacao-cubano-yo-si-puedo/. Acesso em: 13 out. 2023. (2019).

RUMMERT, Sonia Maria. Desafios teóricos e metodológicos da educação de jovens e adultos trabalhadores. In: CANÁRIO, Rui; RUMMERT, Sonia Maria. (Org.). Mundos do trabalho e aprendizagem. Lisboa/PT: Educa, 2009. (2009).

SITEAL. Sistema de Informações de Tendências Educacionais na América Latina. O que é SITEAL. Acesso em: 15 set. 2023. Disponível em: https://siteal.iiep.unesco.org/pt/acerca_de. (2023).

SILVA, Adriano Larentes da. A desespecialização do trabalho docente no México: reflexões sobre as experiências de EJA e de educação profissional. In: Educação em Revista, v. 33, p. e162221, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-4698162221. Acesso em: 15 set. 2023. (2017).

SORIANO, Giovan Nonato Rodrigues; FARIAS, Adriana Medeiros; FERNANDES, Maria Nilvane. As determinações do capital nas diretrizes operacionais da Educação de Jovens e Adultos. In: Jornal de Políticas Educacionais, [S.l.], v. 17, mar. 2023. ISSN 1981-1969. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/jpe/article/view/89353/49520. Acesso em: 30 maio 2023. doi:http://dx.doi.org/10.5380/jpe.v17i2.89353. (2023).

TORRES, Rosa Maria. Aprendizaje a lo largo de la vida: Educación de Adultos y Desarrollo, Bonn, n. 60, p. 7-260, 2003. (Suplemento). (2003).

TORRES, Rosa Maria. Educação para todos: a tarefa por fazer. Porto Alegre: Artmed, 2001. (2001).

UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Instituto Internacional de Planejamento Educacional (IIPE) da UNESCO: Escritório para a América Latina e o Caribe. Acesso em 13 out. 2023. Disponível em: https://www.buenosaires.iipe.unesco.org/pt. (2023).

UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. 4th Global Report on Adult Learning and Education: leave no one behind: participation, equity and inclusion. Germany, 2020. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000372274. Acesso em: 29 mar. 2022. (2020).

UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Recommendation on Adult learning and Education. France, 2015. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000245179. Acesso em: 13 out. 2023. (2016a).

UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Educação 2030: Declaração de Incheon e Marco de Ação, rumo a uma educação de qualidade inclusiva e equitativa e à educação ao longo da vida para todos. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000243278_por. Acesso em: 13 out. 2023. (2016b).

UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Educação de Adultos: Declaração de Hamburgo, agenda para o futuro, V Conferência Internacional de Educação de Adultos, julho 1997. Acesso em: 23 nov. 2021. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000116114_por. (1997).

ZANELLA, Maria Nilvane; LARA, Angela Mara de Barros; CABRITO, Belmiro Gil. A refundação dos conceitos de educação social e educação popular na educação de jovens adultos: a atuação dos organismos internacionais. RLE – Revista Lusófona de Educação, 2019, n. 42, pp. 77-93. Acesso em: 13 out. 2023. Disponível em: https://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/6699. (2019).

Downloads

Publicado

2023-12-20

Como Citar

FARIAS, Adriana Medeiros; FERNANDES, Maria Nilvane; SORIANO, Giovan Nonato Rodrigues. A educação de adultos na América Latina: projetos societários subjacentes em um emaranhado de denominações. Debates em Educação, [S. l.], v. 15, n. 37, p. e16528, 2023. DOI: 10.28998/2175-6600.2023v15n37pe16528. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/16528. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Políticas Educacionais na América Latina: retrocessos e perspectivas

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.