Os imprescindíveis de nosso tempo

Paulo Freire

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13nEspp16-38

Palavras-chave:

Paulo Freire, Direito à educação, Princípios freireanos., Educação de Jovens e Adultos, Ensino-pesquisa-extensão

Resumo

A trajetória na educação de jovens e adultos, cruzada com ensinamentos da educação popular na vida e trajetória acadêmica e profissional das autoras, tem demonstrado o quanto Paulo Freire se mantém, no belíssimo poema de Brecht, como imprescindível para pensar o campo da educação com as classes populares. Atravessadas por reflexões de Freire em sua longa e insistente obra, e por experiências diretas vividas em tempos concomitantes e marcantes, impregnaram seus fazeres cotidianos de princípios que constituem acentos mais do que relevantes em defesa do direito à educação para todos, à dignidade humana e ao reconhecimento social devido a todas as gentes. Usando (como Certeau, 1994) sentidos próprios para o que pode ser considerado imprescindível na pesquisa-ensino-extensão, as autoras percorrem princípios freireanos que sustentam práticas de pesquisa e o exercício democrático na formação de profissionais no campo da educação de jovens e adultos, atualizando um Paulo Freire a quem seguem como o educador gostaria: reinventando-o.

Biografia do Autor

Jane Paiva, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação (ProPed) e da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Procientista UERJ/Faperj, Cientista do Nosso Estado (Faperj) e Produtividade CNPq. Pós-doc (bolsa Estágio Sênior Capes) no Centro de Investigación y de Estudios Avanzados del IPN (CINVESTAV/ Ciudad del México). Doutorado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (2005) e Mestrado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (1995). Licenciada em Didática da Biologia e da Higiene Escolar - Pedagogia (1973); e Licenciada e Bacharel em Ciências Biológicas (1976). Pesquisadora com experiência na área de educação, com ênfase em Educação de Jovens e Adultos, atuando principalmente nos seguintes temas de pesquisa: educação de jovens e adultos: memória e preservação de acervos; políticas públicas de alfabetização e de educação de jovens e adultos; de educação continuada e aprendizagem ao longo da vida; educação em prisões; leitura e escrita; educação profissional na EJA; formação de pedagogos e de professores para o campo da Educação de Jovens e Adultos e formação continuada.

Fatima Lobato Fernandes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Graduação em Comunicação Social (1984), Especialização em Alfabetização das Classes Populares (1995), Mestrado e Doutorado (2006) em Educação no Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Professora adjunta e pesquisadora da Faculdade de Educação da UERJ, atuando no campo da EJA no Círculo de Estudos de Educação de Jovens e Adultos (CEJA), especialmente nos temas de gestão educacional, alfabetização, leitura e escrita, formação inicial e continuada de professores da EJA, educação de jovens e adultos, questões raciais, política educacional, movimentos sociais, memória e história da EJA e direito à educação.

Referências

ALVES, Nilda. Tecer conhecimento em rede. In: ALVES, Nilda, GARCIA, Regina Leite (orgs.). O sentido da escola. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 111-120. (Coleção O sentido da escola).

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB n. 11/2000. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Brasília: D.O.U., 19 jul. 2000.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP n. 2/2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica. Brasília: D.O.U., 25 jun. 2015.

BRECHT, Bertold. Site https://www.pensador.com/frase/MTQ1Mjkw/ .

CASTORIADIS, Cornelius. As encruzilhadas do labirinto I. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Artes de fazer. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

DELEUZE, Gilles, GUATTARI, Félix. Rhizome. Paris: Editions Minuit, 1976.

FREIRE, Ana Maria Araújo. Pedagogia do compromisso: América Latina e Educação Popular (org.). Rio de Janeiro, São Paulo: Paz e Terra, 2018.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 12. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979a.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação — uma introdução ao

pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Cortez & Moraes, 1979b.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Cartas à Cristina. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

FREIRE, Paulo. Professora sim, tia não. Cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Editora Olho d’Água,1995.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 26. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 31. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

GALEANO, Eduardo. As palavras andantes. Porto Alegre: L&PM, 1994.

GALLO, Silvio. Conhecimento transversalidade e educação. In: Impulso. Revista de Ciências Sociais. v. 10. p.115-133. São Paulo: Edições UNIMEP, out. 1997.

HOUAISS, Antonio. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. 1. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

KRENAK, Ailton. A vida não é útil. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

LARROSA, Jorge Bondía. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. In: Revista Brasileira de Educação. ANPEd. n. 19. jan./fev./mar./abr. 2002. Rio de Janeiro: ANPEd: Autores Associados. p. 20-28.

MORIN, Edgar. Oitava Jornada. A religação dos saberes. Introdução. In: MORIN, Edgar. A religação dos saberes. O desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001. p. 489-492.

MORIN, Edgar. Os desafios da complexidade. In: MORIN, Edgar. A religação dos saberes. O desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001. p. 559-567.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

TAYLOR, Paul. Que pedagogia para que liberdade? Um argumento freireano para uma pedagogia do carinho. In: LINHARES, Célia, TRINDADE, Maria de Nazareth (org.). Compartilhando o mundo com Paulo Freire. São Paulo: Cortez/Instituto Paulo Freire, 2003.

UNESCO. Declaração de Hamburgo sobre a Educação de Adultos e Plano de Ação para o Futuro. V Conferência Internacional sobre Educação de Adultos. Hamburgo, Alemanha, 14-18 jul. 1997.

Downloads

Publicado

29/09/2021

Como Citar

PAIVA, J.; FERNANDES, F. L. Os imprescindíveis de nosso tempo: Paulo Freire. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. Esp, p. 16–38, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13nEspp16-38. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12118. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

Paulo Freire, cidadão do mundo: 100 anos de contribuições, diálogos, histórias e memórias.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)