Representações de leitura e saberes docentes: as salas de leitura em territórios vulneráveis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2018v10n21p314-328

Palavras-chave:

Sala de Leitura, Representações de Leitura, Saberes Docentes

Resumo

Neste trabalho, objetiva-se analisar as representações de leitura dos planos de trabalho das Salas de Leitura da RMESP em contexto de vulnerabilidade social e observar como essas representações respondem ao conhecimento acadêmico do professor. Com a análise realizada observou-se que as representações dispostas nos planos, ora dialogam com o contexto de  vulnerabilidade social, ora  com a legislação, ora com as bases epistemológicas em que se fundamentam a formação do professor, evidenciando que os sujeitos, ao construírem as representações sociais sobre o ensino da leitura em determinado tempo e espaço, sobretudo em territórios vulneráveis, lidam com possibilidades de  ajustes, combinações ou resistências (CHARTIER, 2009), dado que as regras institucionais não podem ser totalmente transgredidas.

 

Palavras-chave: Sala de Leitura. Representações de Leitura.  Saberes Docentes.

 

Biografia do Autor

Luciene de Cassia de Santana, Secretaria de Estado da Educação de São Paulo (SEE/SP)

Mestrado em Educação (2017) - Faculdade de Educação da USP. Graduada em Letras - Português/Espanhol (2016)- FFLCH USP.

Referências

BRITTO, Luiz Percival Leme. Contra o consenso: cultura escrita, educação e participação. Campinas, São Paulo: Mercado de Letras, 2003.

CERTEAU, Michel de. A Cultura no Plural. 3. ed. Campinas: Papirus, 1995.

______. A Invenção do Cotidiano. Rio de Janeiro: Vozes, 1998.

CHARTIER, Roger. Práticas da leitura. São Paulo: Estação Liberdade, 2011.

______. História cultural – Entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand, 1996.

______. A história ou a leitura do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

______. A aventura do livro: do leitor ao navegador, conversações com Jean Lebrun. São Paulo: UNESP, 1999.

______. A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013.

SANTANA, Luciene de Cássia de. As salas de leitura em territórios vulneráveis: das diretrizes oficiais aos projetos de ensino. 2017. 185p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

SÃO PAULO (Cidade). Secretaria Municipal de Educação. Leitura ao Pé da Letra – Caderno Orientador para Ambientes de Leitura. São Paulo: SME/DOT, 2012. Vols. 1 e 2. Disponível em: <http://portalsme.prefeitura.sp.gov.br>. Acesso em 20 out. 2015.

______. Secretaria Municipal de Educação. Decreto n. 54.452, de 10/10/2013. Institui na SME-SP, o Programa de Reorganização Curricular e Administrativa, Ampliação e Fortalecimento da Rede Municipal de Ensino – Mais Educação São Paulo. Disponível em: <https://goo.gl/xi1VCI>. Acesso em 04 mar. 2018.

______. Portaria n. 7.655, de 17/12/2015. Dispõe sobre a organização das Salas de Leitura, Espaços de Leitura e Núcleos de Leitura na Rede Municipal de Ensino. Disponível em: <https://goo.gl/Hv5fnM>. Acesso em 04 maio 2018.

SÃO PAULO, SME. Sala de Leitura. Projeto Alfabetização Cartográfica, 2016.

______. Projeto Drogas e Sexualidade, 2016.

______. Diversidade Cultural, 2016.

______. Leituras e Releituras – Do Livro à Mídia, 2016.

Downloads

Publicado

31/08/2018

Como Citar

DE SANTANA, L. de C. Representações de leitura e saberes docentes: as salas de leitura em territórios vulneráveis. Debates em Educação, [S. l.], v. 10, n. 21, p. 314–328, 2018. DOI: 10.28998/2175-6600.2018v10n21p314-328. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/4640. Acesso em: 28 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos