Diálogo de saberes, trabalho de tradução e intercientificidade

intersecções possíveis no ensino de química

Autores

  • Ramon de Oliveira Santana Universidade do Estado do Amapá (UEAP)
  • Wesley Pereira da Silva Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF)
  • Gerson de Souza Mol Universidade de Brasília (UnB)

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13nEsp2p270-288

Palavras-chave:

Diálogo de saberes, Intercientificidade, Trabalho de tradução

Resumo

Neste ensaio, temos como objetivo apresentar intersecções entre os aportes teóricos das autoras Manuela Cunha, antropóloga, e Maria Conceição de Almeida, socióloga, referentes aos diálogos de saberes possíveis entre o conhecimento tradicional e o científico, as contribuições do sociólogo Boaventura de Sousa Santos, referentes ao trabalho de tradução, e a ideia de intercientificidade do antropólogo Paul Little. As reflexões apontam que são possíveis inúmeras intersecções e apresentam contribuições para pesquisas que têm como temática o uso de saberes populares no Ensino de Ciências/Química. Os aportes teóricos que fundamentam nossa discussão ponderam sobre os cuidados necessários para se trabalhar com o diálogo entre os conhecimentos tradicionais e os científicos na Educação Formal. As intersecções sinalizam caminhos plausíveis e fundamentais para fortalecer a construção de práticas pedagógicas transformadoras que valorizam todos os envolvidos e contribuem diretamente para o fortalecimento das lutas locais, evitando, com isso, a expropriação de conhecimentos, marginalização dos envolvidos e hierarquização de conhecimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ramon de Oliveira Santana , Universidade do Estado do Amapá (UEAP)

Doutor em Educação em Ciências - PPGEduC (UnB). Mestrado no Programa de Pós-graduação de ensino de ciências e matemática - PPGECIMA/UFS (2013). Graduação em Química pela Universidade Federal de Sergipe (2010).Tenho experiência na área de Educação em Ciências, com ênfase em Ensino de Química. Coordenador do Laboratório Pedagógico de Química-UEAP. Atualmente é Professor da Universidade do Estado do Amapá. Nos últimos anos venho desenvolvendo trabalhos que trazem como premissa a importância de pensarmos práticas pedagógicas transformadoras que contribuam com o diálogo de saberes e o pluralismo epistêmico. Linhas de pesquisa: Decolonialidade e o ensino de Ciências, Relações entre saberes Tradicionais e Ciência, Formação de professores e o ensino de Ciências, Inclusão e ensino de Ciências e Educação Intercultural. Membro do Grupo de pesquisa Educação, Saberes e Decolonialidades - GP-DES/UNB.

 

http://lattes.cnpq.br/9692715893257902

Wesley Pereira da Silva, Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF)

Possui graduação em Bacharelado e Licenciatura em Química pela Universidade de Brasília (2007), graduação em Programa Esp. de Formação de Docentes - Matemática pela Universidade Católica de Brasília (2010), especialização em Coordenação Pedagógica pela Universidade de Brasília (2013). Mestrado em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (2017). Doutorando em Educação em Ciências pelo Instituto de Química da Universidade de Brasília (em andamento). É membro do Grupo de Investigação em Educação Matemática da UnB - GIEM e do Grupo Aprendizagem Lúdica - Pesquisas e Intervenção em Educação e Desporto - GEPAL da UnB. Atualmente é professor do Atendimento Educacional Especializado/Sala de Recursos da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal.

 

http://lattes.cnpq.br/6730444309229315

Gerson de Souza Mol , Universidade de Brasília (UnB)

Bacharel e Licenciado em Química pela Universidade Federal de Viçosa, mestre em Química Analítica pela Universidade Federal de Minas Gerais e doutor em Química pela Universidade de Brasília ? UnB, com posdoc na Universidade de Aveiro ? Portugal. Professor do Instituto de Química da UnB. Orienta nos programas de pós-graduação em Ensino de Ciência e em Educação em Ciências da UnB, na REAMEC e no PPGECM ? UEM. Parecerista de revistas científicas. Consultor da Capes, CNPq e agências de fomento. Ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Ensino de Química ? SBEnQ (jul/2018 - abr/2021). Um dos autores do livro didático Química Cidadã. Pesquisa e orienta em Educação Inclusiva com foco no Ensino de Ciências.

 

http://lattes.cnpq.br/5435762270956940/  

Referências

ALMEIDA, M. C. Complexidade, saberes científicos, saberes da tradição. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2010.

CHASSOT, A. Saber acadêmico/saber escolar/saber popular. Presença Pedagógica. n. 11, p. 81-84, Set./out. 1996.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a Educação. 4 ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2006.

CHASSOT, A. Fazendo Educação em Ciências em um Curso de Pedagogia com Inclusão de Saberes Populares no Currículo. Química Nova na Escola, São Paulo, n. 27, p. 9-12, fev. 2008.

CUNHA, M. C; ALMEIDA, M. W. B. Indigenous People, Traditional People and Conservation in the Amazon. Deadalus. n.129, v.2, p. 315-338, 2000.

______. Relações e dissensões entre saberes tradicionais e saber científico. Revista USP, São Paulo, n. 75, p. 76-84, 2007.

______.; ALMEIDA, M. W. B. Populações Tradicionais e Conservação Ambiental In: CUNHA, M. C. Cultura com aspas. São Paulo: Cosac Naify, 2009. p. 277-300.

______. Conhecimento científico e conhecimentos tradicionais. Conferência programa Cátedras FUNDEP/IEAT. Faculdade de Educação UFMG, 06 de nov. de 2013.

FLÔR, C.; TRÓPIA, G.; XAVIER, P. Rodas de conversa na formação inicial de professores: saberes populares, ciências, memórias... Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 18, n. 1, p. 265-276, 13 jul. 2016.

GONDIM, M. S. C.; MOL, G. S. Saberes populares e ensino de Ciências: possibilidades para um trabalho interdisciplinar. Química Nova na Escola, nº 30, p. 3-9, 2008.

LITTLE, P. E. O conhecimento tradicional no marco da intercientificidade. In: LITTLE, P. E. Conhecimentos tradicionais para o século XXI. São Paulo: Annablume, 2010. p. 9-31.

SANTOS, B. S. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 63, p. 237-280, out. 2002.

SANTOS, B. S. Conocer desde el Sur - Para una cultura política emancipatoria. Lima: Fondo Editorial de la Facultad de Ciencias Sociales, 2006.

Downloads

Publicado

2021-11-30

Como Citar

SANTANA , Ramon de Oliveira; SILVA, Wesley Pereira da; MOL , Gerson de Souza. Diálogo de saberes, trabalho de tradução e intercientificidade: intersecções possíveis no ensino de química. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. Esp2, p. 270–288, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13nEsp2p270-288. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13056. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Formação Docente em Química: foco e intersecções para ampliar o entendim

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.