Os impactos da pandemia de covid-19 no trabalho docente universitário

Autores

  • Tainá Silva Candido Universidade do Extremo Sul Catarinense
  • Ricardo Luiz de Bittencourt Universidade do Extremo Sul Catarinense
  • Viviane Kraieski de Assunção Universidade do Extremo Sul Catarinense

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2022v14n35p566-585

Palavras-chave:

Docência universitária, Trabalho docente, Pandemia, Coronavírus

Resumo

A pandemia de Covid-19 impactou fortemente os sistemas educacionais em todo o mundo, ensejando novas situações de trabalho. Este estudo busca analisar, por meio de pesquisa bibliográfica, como os estudos dialogam e auxiliam a compreender os impactos da pandemia no trabalho docente universitário. As discussões, orquestradas a partir de autores como: Antunes (2001), Chauí (2003), Frigotto (2006), Evangelista e Shiroma (2016), dentre outros, levaram em conta os eixos: organização e as condições de trabalho dos docentes, as exigências e a precarização do trabalho e a saúde mental. Os estudos revelam as problemáticas acerca de como se constitui o trabalho remotamente realizado e o que representa o discurso do “novo normal” nesse contexto e chamam a atenção para a precarização do trabalho docente, que já era uma realidade e a pandemia apenas intensificou.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tainá Silva Candido, Universidade do Extremo Sul Catarinense

Doutoranda bolsista no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA) da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC). Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UNESC. Possui Pós-Graduação Lato Sensu em Ecologia e Desenvolvimento Sustentável. Graduação em Pedagogia e Sociologia (em andamento). É integrante do Grupo de Pesquisa Meio Ambiente, Cultura e Sociedade (GPMACS). Atua em pesquisas sobre meio ambiente e conhecimentos tradicionais.

Ricardo Luiz de Bittencourt, Universidade do Extremo Sul Catarinense

Possui graduação em Pedagogia e Licenciatura em Filosofia, Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008). Na rede pública estadual atua na EEB Engenheiro Sebastião Toledo dos Santos como docente no Curso de Magistério. Atualmente é Coordenador Adjunto no curso de Pedagogia da UNESC. É professor no curso de Pedagogia desde 1994 atuando nas disciplinas de Pedagogia e Profissão Docente, Didática e Psicologia da Aprendizagem. Atua como professor permanente no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE). No PPG Ciências Ambientais ministra a disciplina Metodologia do Ensino Superior. Coordenou o Subprojeto Interdisciplinar do Programa de Iniciação à Docência (2014-2017) e coordena o Subprojeto Pibid/Pedagogia. É líder do Grupo de Pesquisa Políticas, Saberes e Práticas de Formação de Professores. É editor da Revista Saberes Pedagógicos do curso de Pedagogia. Atua como parecerista em diversas revistas científicas do campo da educação. Orienta trabalhos vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Educação (Dissertações), Iniciação Científica (PIBIC/CNPQ) e Especialização lato sensu nas áreas de Educação bem como na coordenação de projetos de extensão. É membro do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso de Pedagogia da UNESC. Associado da ANPED e da ANFOPE. Foi coordenador do curso de Pedagogia (1997-2005; 2011-2017), Diretor de Graduação (2005-2007), Diretor da Unidade Acadêmica de Humanidades, Ciências e Educação (2007-2009) e Pró-Reitor de Ensino de Graduação da UNESC (2009-2010). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Formação de Professores.

Viviane Kraieski de Assunção, Universidade do Extremo Sul Catarinense

Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA) da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC). É Doutora em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de Santa Catarina (2011), e realizou estágio-sanduíche no Institute of Latin American Studies da Columbia University. Possui mestrado em Antropologia Social (2007) e graduação em Jornalismo (2002) pela Universidade Federal de Santa Catarina. Realizou pós-doutorado em Antropologia Social na Free University of Amsterdam (2012-2013). Atua em pesquisas, principalmente, nos seguintes temas: riscos e desastres ambientais; meio ambiente e conhecimentos tradicionais; alimentação, consumo e descarte; meio ambiente urbano e produção social do espaço.

Referências

ANTUNES, Ricardo. Trabalho e precarização numa ordem neoliberal. In: GENTILI, Pablo.; FRIGOTTO, Gaudêncio. (Org.). A Cidadania Negada: políticas de exclusão na educação e no trabalho. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2001, p. 35-48.

BERTOLIN, Julio Cesar Godoi. Avaliação da qualidade do Sistema de Educação Superior Brasileiro em tempos de mercantilização: período 1994-2003. Tese Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação, 2007.

CARVALHO, Cristina Helena Almeida. A mercantilização da educação superior brasileira e as estratégias de mercado das instituições lucrativas. Revista Brasileira de Educação, v. 18, n. 54, p. 761-801, jul./set., 2013.

CHAUI, Marilena. A. Universidade pública sob novas perspectivas. In: Conferência de abertura da ANPED. Poços de Caldas, MG, 2003.

EVANGELISTA, Olinda. Faces da tragédia docente no Brasil. In: Seminário Internacional de la Red Estrado - Movimientos Pedagógicos y Trabajo Docente en tiempos de estandarización. XI. Universidad Pedagogica Nacional. 2016.

FERIGATO, Sabrina Helena.; TEIXEIRA, R. R.; FRAGELLI, M. C. B. Universidade E a Atividade Docente: Desafios Em Uma Experiência Pandêmica. Revista Docência do Ensino Superior, v. 10, p. 1–17, 2020.

FIOR, Camila Alves; MARTINS, Maria José. A docência universitária no contexto de pandemia e o ingresso no ensino superior. Revista Docência do Ensino Superior, v. 10, p. 1–20, 2020.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e Trabalho : bases para debater. Perspectiva, v. 19, p. 71–87, 2001.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Fundamentos científicos e técnicos da relação trabalho e educação no brasil de hoje. In: LIMA, J. C. F. (org.) Fundamentos da educação escolar do Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz/EPSJV, 2006.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação profissional e capitalismo dependente: o enigma da falta e sobra de profissionais qualificados. Trab. Educ. Saúde, v. 5 n. 3, p. 521-536, nov.2007/fev.2008.

HARARI, Yuval Noah. Lições para uma pandemia. O globo, 24 ago. 2020.

KUENZER, Acácia Zeneida. Ensino Médio: construindo uma proposta para os que vivem do trabalho. São Paulo, Cortez, 2000.

KUENZER, Acácia Zeneida. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; SANFELICE, J. L. (Org.). Capitalismo, trabalho e educação. Campinas: Autores Associados; Histedbr, 2005.

LARA, Rafael da Cunha. Ubiquidade e crise pandêmica: o que há de novo no trabalho em educação? Em Tese, v. 17, n. 2, p. 24–43, 2020.

LÉVY, Pierre. O que é o virtual?. São Paulo: Editora 34, 1996.

MANCEBO, Deise. Trabalho docente na educação superior brasileira: mercantilização das relações eheteronomia acadêmica. Revista Portuguesa de Educação, v. 23, n. 2, p. 73-91, 2010.

MONTEIRO, Bruno Massayuki Makimoto; SOUZA, José Carlos. Saúde mental e condições de trabalho docente universitário na pandemia da COVID-19. Research, Society and Development, v. 9, n. 9, p. 1-16, 2020.

ORTIZ, Rocío Rueda. Cibercultura: metáforas, prácticas sociales y colectivos en red. Nómadas, n. 28, p. 8-20, 2008.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Reinventando a democracia. Entre o pre-contratualismo e o pós-contratuialismo. In: BELLER, A. et al. A crise dos paradigmas em ciências sociais. Rio de Janeiro: Contraponto, 1999.

SANTOS, E. S. C; SILVA, E. B. da. Educação e neoliberalismo: questões atuais ou do passado? In: CUNHA, Célio da; SILVA, Maria A. da. (Orgs.) Pensamento pedagógico e Políticas de Educação. Brasília: Liber Livro, 2013.

SHIROMA, Eneida Oto; EVANGELISTA, Olinda. Formação humana ou produção de resultados? trabalho docente na encruzilhada. Revista Contemporânea de Educação, v. 10, n. 20, p. 314-341, jul./dez., 2015.

TANGUY, Ludovic. Racionalização pedagógica e legitimidade política. In: ROPÉ, F.; TANGUY, Ludovic. (Org.). Saberes e competências: o uso de tais noções na escola e na empresa. 4. ed. Campinas: Papirus, p. 25-67, 2003.

VEIGA, Ilma Passos. Docência na educação superior. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira, 2006.

Downloads

Publicado

2022-08-31

Como Citar

CANDIDO, Tainá Silva; BITTENCOURT, Ricardo Luiz de; ASSUNÇÃO, Viviane Kraieski de. Os impactos da pandemia de covid-19 no trabalho docente universitário. Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. 35, p. 566–585, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14n35p566-585. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13293. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.