Metodologias e Tecnologias Digitais: a voz do coletivo/singular na formação inicial do professor de Matemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p273-294

Palavras-chave:

Formação de professores, Tecnologias digitais, Educação matemática.

Resumo

Com as expressivas transformações da sociedade impulsionadas pelos avanços das tecnologias digitais a formação de professores necessita estar em constante estudo. Nesta perspectiva, foi realizada uma pesquisa qualitativa buscando compreender como futuros professores de matemática entendem o uso pedagógico das tecnologias digitais e para isso, foi aplicado um questionário a 12 alunos do curso de Matemática de uma universidade federal da região centro-oeste do Brasil no ano de 2017. Os dados foram tabulados e analisados por meio da técnica do Discurso do Sujeito Coletivo. No estudo, destaca-se que o uso das tecnologias em suas futuras aulas poderá ser uma forma de potencializar o ensino da matemática desde que auxiliada por uma metodologia eficaz e, o quão é importante olhar para a formação inicial de professores, buscando respostas para os anseios formativos.

Biografia do Autor

Tiago Dziekaniak Figueiredo, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Doutor em Educação (UFPEL); Mestre em Educação em Ciências (FURG); Graduado em Matemática (FURG); Professor Adjunto da UFGD e Líder do Grupo de Pesquisa Tecnologias na Educação Matemática - GPTEM/CNPq.

Victor Ferreira Ragoni, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Mestrando em Educação Matemática (UFMS); Licenciado em Matemática (UFGD); Membro do Grupo de Pesquisa Tecnologias na Educação Matemática - PTEM/CNPq

Referências

ASSMANN, H. A metamorfose do aprender na sociedade da informação. Ciência da informação, v. 29, n. 2, p. 7-15, 2000.

BETTEGA, M. H. A educação continuada na era digital. São Paulo: Cortez, 2004. (Coleção questões da nossa época; v. 116).

BRASIL. Parecer CNE/CP 9/2001, de 8 de maio de 2001. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 18 jan. 2002b. Seção 1, p. 31.

BORBA, M. C.; PENTEADO, M. G. Informática e educação matemática. 5ª ed. Belo Horizonte/MG: Autêntica Editora, 2012.

CHARLOT, Be. O professor na sociedade contemporânea: um trabalhador da contradição. In: Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade. V. 17. N. 30. P. 17-31, jul./dez. 2008.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA – SBEM. Boletim SBEM. Nº. 21, 2013.

CUNHA, M. I. da. A indissociabilidade do ensino com a pesquisa e a extensão como referente de qualidade na universidade brasileira: um discurso em tensão. In: CUNHA, M. I. da. Qualidade da graduação: a relação entre ensino, pesquisa e extensão e o desenvolvimento profissional docente. Araraquara, SP: Junqueira&Marin, 2012, p. 17 – 38.

______. A universidade: desafios políticos e epistemológicos. In: CUNHA, M. I. da. (Org.). Pedagogia universitárias: energias emancipatórias em tempos neoliberais. Araraquara, SP: Junqueira&Marin, 2006, p. 13 – 30.

______. Inovações pedagógicas: o desafio da reconfiguração de saberes na docência universitária. In: Pimenta, S. G.; ALMEIDA, M. I. Pedagogia universitária. São Paulo, SP: EDUSP, 2009. P. 211 – 136.

FIGUEIREDO, T. D. Os Professores de matemática e as Tecnologias Digitais: Uma Cultura Docente em Ação. 2015. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande/RS.

LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE, A. M. C. Novos Instrumentos no Contexto da Pesquisa Qualitativa. In: LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE, A. M. C.; TEIXEIRA, J. J. V. (Org.). O discurso do sujeito coletivo: uma nova abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. p. 11-35, Caxias do Sul: EDUCS, 2000.

MATURANA, Humberto. A ontologia da realidade. 3. Ed. Belo Horizonte, MG: Editora UFMG, 2014.

OROFINO, M. I. Mídias e educação escolar: pedagogia dos meios, participação e visibilidade. São Paulo: Cortez, 2005.

PIMENTA, S. G. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática? 11.ed. São Paulo: Cortez, 2012.

SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. In: Revista Brasileira de Educação. V. 14. N. 40. Jan./abr. 2009.

SANCHO, J. M. De Tecnologias da Informação e Comunicação a Recursos Educativos. In: HERNÁNDEZ, F.; SANCHO, J. M. et al. (Org.) Tecnologias para transformar a Educação. Porto Alegre/RS: Artmed, 2006.p. 15 – 4.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 17ª ed. 2ª Reimpressão. Petrópolis/RJ: Editora Vozes, 2014.

UFGD. PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE MATEMÁTICA da Universidade Federal da Grande Dourados. 2017.

Downloads

Publicado

31/08/2019

Como Citar

FIGUEIREDO, T. D.; RAGONI, V. F. Metodologias e Tecnologias Digitais: a voz do coletivo/singular na formação inicial do professor de Matemática. Debates em Educação, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 273–294, 2019. DOI: 10.28998/2175-6600.2019v11n24p273-294. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/7745. Acesso em: 29 nov. 2021.

Edição

Seção

Dossiê “Tecnologias e educação: usos, efeitos e reflexões sobre a formação no cotidiano das instituições educacionais”