Teatro do oprimido como estratégia pedagógica para o ensino em saúde: um relato de experiência

Autores

  • Ely Bueno da Silva Bispo Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS). https://orcid.org/0000-0002-6110-6373
  • Natália Hoefle Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS). https://orcid.org/0000-0002-6127-5564
  • Aline Nunes Menezes Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS). https://orcid.org/0000-0003-1233-8511
  • Lídia Batista de Môra Hospital Universitário da Grande Dourados https://orcid.org/0000-0002-1189-7170
  • Cibele de Moura Sales Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS). https://orcid.org/0000-0002-6578-7874
  • Rogério Dias Renovato Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS). http://orcid.org/0000-0002-5595-6216

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13n31p514-526

Palavras-chave:

mestrado profissional, educação em saúde, sala de aula de aula

Resumo

Os mestrados profissionais de ensino em saúde oportunizam conhecimento sobre aportes pedagógicos formando educadores qualificados para atuar em saúde. Este artigo objetiva relatar a experiência da utilização do Teatro do Oprimido como estratégia pedagógica no campo do ensino em saúde. A prática educativa ocorreu com discentes de Mestrado Profissional Ensino em Saúde em três momentos: encenações por meio do teatro-fórum, roda de conversa e atividade avaliativa. Os autores exploraram o planejamento e execução de atividade pedagógica, enquanto os discentes vivenciaram a teatralização e participaram ativamente das propostas. O TO como metodologia revela-se como uma alternativa de estratégia pedagógica potente, aplicável em contextos sociais, de sala de aula e de serviços de saúde.Mestrado Profissional. Educação em Saúde. Sala de aula.

Biografia do Autor

Ely Bueno da Silva Bispo, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS).

Enfermeira. Aluna do Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS).

Natália Hoefle, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS).

Enfermeira. Aluna do Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS).

Aline Nunes Menezes, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS).

Enfermeira. Aluna do Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS).

Lídia Batista de Môra, Hospital Universitário da Grande Dourados

Enfermeira. Especialização em Saúde da Família (UFPB).Especialização em Saúde Pulblica (FURNE/UNIPÊ).

Cibele de Moura Sales, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS).

Enfermeira. Doutora em Ciências da Saúde pelo Programa Multi-institucional. Professora Adjunta da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Docente do Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS).

Rogério Dias Renovato, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS).

Farmacêutico. Doutor em Educação pela UNICAMP. Professor Associado da UEMS. Docente do Programa de Pós-graduação Ensino em Saúde, Mestrado Profissional (PPGES/UEMS).

Downloads

Publicado

26/06/2021

Como Citar

BISPO, E. B. da S.; HOEFLE, N.; MENEZES, A. N.; MÔRA, L. B. de; SALES, C. de M.; RENOVATO, R. D. Teatro do oprimido como estratégia pedagógica para o ensino em saúde: um relato de experiência. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. 31, p. 514–526, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13n31p514-526. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/10519. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos