Percepção de professores que ensinam matemática sobre o ensino remoto emergencial e o processo de ensino-aprendizagem

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13n31p966-991

Palavras-chave:

Ensino remoto emergencial, Ensino-aprendizagem, Professores que ensinam matemática, COVID-19

Resumo

Este artigo teve como objetivo analisar as percepções de professores que ensinam Matemática no contexto do Ensino Remoto Emergencial sobre possibilidades e desafios para o processo de ensino-aprendizagem no contexto pós-pandêmico. A pesquisa de natureza qualitativa com delineamento exploratório teve como instrumento de coleta de dados um questionário aberto. Os participantes foram 42 professores que atuam em escolas públicas do Distrito Federal. As respostas foram tratadas por meio da Análise de Conteúdo proposta por Bardin (2016). Os resultados revelaram que a maioria dos participantes têm expectativas quanto à possibilidade de melhorias para o ensino presencial pós-pandêmico, embora ressaltem que há problemas que devem ser abordados, principalmente relacionados às diferenças de apropriação tecnológica pelos professores e à disparidade de acesso dos estudantes.

Biografia do Autor

Cristina de Jesus Teixeira, Universidade de Brasília - UnB/ Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal - SEEDF

Doutoranda em Educação - PPGE/UnB na linha de pesquisa Educação em Ciências e Matemática - ECMA, Mestra em Educação - UnB (2019), Especialista em Matemática e Estatística - UFLA (2007), Especialista em Psicopedagogia Clínico-institucional (2010), Especialista em Docência do Ensino Superior (2008) e graduada em Matemática (Licenciatura) - UniCEUB (1998). Professora na SEEDF e membro do grupo de pesquisa Dzeta Investigações em Educação Matemática - DIEM.

Joeanne Neves Fraz, Universidade de Brasília - UnB

Doutoranda em Educação - PPGE/UnB na linha de pesquisa Educação em Ciências e Matemática - ECMA, Mestra em Educação - UnB (2004), Especialista em Educação a Distância - UNOPAR (2016), graduada em História (Licenciatura e Bacharelado) - UNESP (1996) e membro do grupo de pesquisa Dzeta Investigações em Educação Matemática - DIEM.

Weberson Campos Ferreira, Universidade de Brasília - UnB/ Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal - SEEDF

Doutorando em Educação - PPGE/UnB na linha de pesquisa Educação em Ciências e Matemática - ECMA, Mestre em Educação - UnB (2020), Especialista em Letramento e Práticas Interdisciplinares nos Anos Finais (6º ao 9º) - UnB (2016), Especialista em Didática e Metodologia do Ensino Superior (2012), graduado em Matemática (Licenciatura) - UEG (2008). Professor na SEEDF e membro do grupo de pesquisa Dzeta Investigações em Educação Matemática - DIEM.

Geraldo Eustáquio Moreira, Universidade de Brasília/Professor Adjunto

Pós-Doutor em Educação Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ; Doutor em Educação Matemática – PUCSP (2012), com Estágio Doutoral realizado na Universidade do Minho (UMINHO/PT); Mestre em Educação – UCB (2005); Pós-Graduado em de Ensino da Matemática – UNICLAR (2000); Licenciado em Ciências – UEG (1996), Matemática – UNOESTE/SP (1999) e Pedagogia – Instituto Superior Fátima/DF (2013). É Professor Adjunto da Universidade de Brasília - UnB, atuando na Faculdade de Educação e é Professor/Pesquisador da Pós-Graduação, níveis Mestrado e Doutorado, do Programa de Educação (PPGE, Acadêmico e Profissional). Líder do grupo de pesquisa Dzeta Investigações em Educação Matemática - DIEM.

Downloads

Publicado

26/06/2021

Como Citar

TEIXEIRA, C. de J.; FRAZ, J. N.; FERREIRA, W. C.; MOREIRA, G. E. Percepção de professores que ensinam matemática sobre o ensino remoto emergencial e o processo de ensino-aprendizagem. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. 31, p. 966–991, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13n31p966-991. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/11784. Acesso em: 23 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê "Múltiplas Perspectivas e Experiências no Ensino Remoto"