“Vem, pessoal, descobrir novos horizontes”

as vivências de um currículo da educação infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2022v14nEspp375-399

Palavras-chave:

Bebês, Educação Infantil, Currículo, Psicologia histórico-cultural, Etnografia em Educação

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar as vivências de um currículo do berçário, focalizando a construção dos sentidos e significados produzidos pelos/as bebês e professoras para as práticas curriculares. A pesquisa aconteceu em uma Escola Municipal de Educação Infantil de Belo Horizonte com a produção de videogravações, notas de campo e entrevistas. A perspectiva teórico-metodológica está baseada nas teorias curriculares, na Psicologia histórico-cultural e na Etnografia em Educação. O conceito de vivência é entendido como a unidade pessoa/meio; e o currículo é analisado como uma prática cultural.  Argumentamos que as vivências dos/as bebês e professoras foram marcadas por tensões expressas na unidade [autonomia/proteção]. Essa unidade constitui o currículo do berçário por meio de práticas que possibilitam aos/às bebês a realização de várias atividades, com base em suas próprias iniciativas e sem a tutela direta de um adulto. Ao mesmo tempo, essas práticas propiciam a proteção e o cuidado desses/as bebês.

Biografia do Autor

Luiza de Paula Cortezzi, Universidade Federal de Minas Gerais

Formada em Pedagogia - Faculdade de Educação - UFMG

Mestre em Educação - Faculdade de Educação - UFMG

Vanessa Ferraz Almeida Neves, Faculdade de Educação - Universidade Federal de Minas Gerais

Professora Associada da Faculdade de Educação - UFMG e do Programa de Pós-graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social na mesma instituição. Realizou Pós-doutorado em Educação na Ohio State University sob supervisão da Profa. Laurie Katz. É coordenadora do Grupo Estudos em Cultura, Educação e Infância (EnlaCEI/FaE/UFMG) e membro do Grupo de Pesquisas e Estudos em Psicologia histórico-cultural na Sala de Aula (GEPSA/FaE/UFMG) e do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Infância e Educação Infantil (NEPEI/FaE/UFMG). Atualmente desenvolve um Programa de pesquisa longitudinal e etnográfico denominado "Infância e Escolarização" em que um grupo de bebês é acompanhado desde a sua inserção em uma instituição de Educação Infantil até a saída para o Ensino Fundamental. 

Shirlei Rezende Sales, Universidade Federal de Minas Gerais

Pós doutora pela University of Illinois at Urbana-Champaign (UIUC), USA. Professora do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil. Doutora em Educação pela mesma instituição. Membro dos seguintes grupos de pesquisa: Observatório da Juventude da UFMG; Ensino Médio em Pesquisa (EMPesquisa); Educação, Redes Sociotécnicas e Culturas e Digitais e GECC (Grupo de Estudos e Pesquisas em Currículos e Culturas da FaE/UFMG).

Referências

ABRAMOWICZ, Anete; CRUZ, Ana Cristina J.; MORUZZI, Andrea Braga. Alguns apontamentos: a quem interessa a Base Nacional Comum Curricular para a Educação Infantil? Debates em Educação, v. 8, n. 16, p. 46-65, 2016. DOI: 10.28998/2175-6600.2016v8n16p46. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/2385 Acesso em: 06 jan. 2022.

AGUIAR, Márcia Ângela; DOURADO, Luiz Fernandes (Orgs.). A BNCC na contramão do PNE 2014-2024: avaliação e perspectivas. Recife: ANPAE, 2018. p. 8-22. Disponível em: https://anpae.org.br/BibliotecaVirtual/4-Publicacoes/BNCC-VERSAO-FINAL.pdf. Acesso em: 12 Jun. 2021.

BARBOSA, Maria Carmem Silveira; HORN, Maria da Graça Souza. Organização do espaço e do tempo na escola infantil. In: CRAIDY, Carmem; KAERCHER, Gládis. Educação infantil: pra que te quero. Porto Alegre: Artmed, 2001. p. 67-79.

BARBOSA, Maria Carmem Silveira. As especificidades da ação pedagógica com bebês. Anais do I Seminário Nacional: Currículo em movimento – Perspectivas atuais. Belo Horizonte, 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2010-pdf/7154-2-2-artigo-mec-acao-pedagogica-bebes-m-carmem/file. Acesso em: 02 Jul. 2021.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; RICHTER, Sandra Regina Simonis. Os bebês interrogam o currículo: as múltiplas linguagens na creche. Educação (UFSM), v. 1, n. 1, p. 85-96, 2009. DOI: 10.5902/198464441605. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/1605 Acesso em: 06 jan. 2022.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB nº 20/2009. Brasília, DF: MEC/CNE/CEB, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (Terceira Versão). Ministério da Educação, Brasília, DF: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf. Acesso em: 01 Jul. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Planejando a próxima década: Conhecendo as 20 metas no Plano Nacional de Educação. Brasília, DF: MEC, 2014. Disponível em: https://pne.mec.gov.br/images/pdf/pne_conhecendo_20_metas.pdf Acesso em 06 jan. 2022.

CARNEIRO, Maria Crélia Mendes. Currículo para bebês no contexto da creche: concepções, práticas e participação das crianças. 2017. 299f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, 2017.

CORSARO, William A. Friendship and peer culture in the early years. Norwood, N.J.: Ablex; 1985.

DEWEY, John. A escola e a sociedade: a criança e o currículo. Lisboa: Relógio D’Água, 2002.

DIAS, Luiz Antonio; SEGURADO, Rosemary (Org). O golpe de 2016: razões, atores e consequências São Paulo: Intermeios; PUC-SP-PIPEq, 2018.

FALK, Judit (Org). Educar os três primeiros anos: a experiência Lóczy. Araraquara: Junqueira & Marin, 2011.

FOCHI, Paulo Sergio. Criança, currículo e campos de experiência: notas reflexivas. Conjectura: Filosofia e Educação (UCS), v. 25, p. 52-72, 2020. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conjectura/article/view/8910. Acesso em: 06 jan. 2022.

GREEN, Judith; BLOOME, David. A situated perspective on ethnography and ethnographers of and in education. Handbook of research on teaching literacy through the communicative and visual arts, p. 181-202, 1997.

GREEN, Judith; DIXON, Carol N.; ZAHARLICK, Amy. A etnografia como uma lógica de investigação. Educ. Rev., Belo Horizonte , n. 42, p. 13-79, dez. 2005 . Disponível em <http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982005000200002&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 06 jan. 2022.

GUIMARÃES, Daniela de Oliveira. Relações entre crianças e adultos no berçário de uma creche pública na Cidade do Rio de Janeiro: técnicas corporais, responsividade, cuidado. 2008. 222f. Tese. (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

HEATH, Shirley Brice; STREET, Brian; MILLS, Molly. On Ethnography: Approaches to Language and Literacy Research. New York: Teachers College Press, 2008.

KRAWCZYK, Nora; LOMBARDI, José Claudinei (Org.). O Golpe de 2016 e a Educação no Brasil. Uberlândia/Minas Gerais: Navegando Publicações, 2018.

MACÁRIO, Alice de Paiva. A potência das interações dos bebês em uma creche pública do município de Juiz de Fora. 2017. 169f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Juiz de Fora, 2017.

MACEDO, Elizabeth. Base Nacional Curricular Comum: novas formas de sociabilidade produzindo sentidos para a educação. E-Curriculum, v. 12, n. 3, São Paulo, p. 1530-1555, out./dez. 2014. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/view/21666. Acesso em 06. Jan. 2022.

MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa. Currículo, cultura e formação de professores. Educar em revista, n. 17, p. 39-52, 2001. DOI: 10.1590/0104-4060.218. Disponível em: https://www.scielo.br/j/er/a/3g4w8HwbP8XSHVq9qzNDXJp/?lang=pt Acesso em: 06 jan. 2022.

MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa; SILVA, Tomaz Tadeu. Sociologia e teoria crítica do currículo: uma introdução. In: MOREIRA, Antonio Flavio; SILVA, Tomaz Tadeu. (Orgs.). Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez, 1994.

MOSS, Peter. What future for the relationship between early childhood education and care and compulsory schooling? In: Research in Comparative and International Education, v. 3, n. 3, 2008.

NEVES, Vanessa Ferraz Almeida; MÜLLER, Fernanda. Ética no encontro com bebês e seus/suas cuidadores/as. In: Comissão de Ética em Pesquisa da ANPEd. (Org.). Ética e pesquisa em educação: subsídios. 1ed. Rio de Janeiro: ANPEd, 2021, v. 2, p. 94-101.

PEREIRA, Fábio Hoffmann. Campos de experiências e a BNCC: um olhar crítico. Zero-a-seis, v. 22, n. 41, p. 73-89, 2020. DOI: 10.5007/1980-4512.2020v22n41p73. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/1980-4512.2020v22n41p73. Acesso em 06. Jan. 2022.

PONCE, Branca Jurema; DURLI, Zenilne. Currículo e identidade da educação infantil. Currículo sem Fronteiras, v. 15, n. 3, p. 775-792, 2015. Disponível em: https://www.curriculosemfronteiras.org/vol15iss3articles/ponce-durli.pdf Acesso em 06 jan. 2022.

ROSSETTI-FERREIRA, Maria Clotilde; AMORIM, Kátia de Souza; SOARES-SILVA, Ana Paula; OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos. Desafios metodológicos na perspectiva da rede de significações. Cadernos de Pesquisa, v. 38, n. 133, p. 147-170, 2008. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/index.php/cp/article/view/297/307. Acesso em 06 jan. 2022.

SILVA, Elenice Brito Teixeira; NEVES, Vanessa Ferraz Almeida. Os estudos sobre a educação de bebês no Brasil. Educação Unisinos, v. 24, p. 1-19, 2020. DOI: 10.4013/edu.2020.241.18607 Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/edu.2020.241.07 Acesso em: 06 jan. 2022.

SILVA, Monica Ribeiro. A BNCC da reforma do Ensino Médio: o resgate de um empoeirado discurso. Educ. rev. Belo Horizonte, v. 34, 2018. DOI: 10.1590/0102-4698214130. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edur/a/V3cqZ8tBtT3Jvts7JdhxxZk/abstract/?lang=pt Acesso em 06 jan. 2022.

SILVA, Tomaz Tadeu da. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

SILVA, Viviane dos Reis. O que pensam as educadoras e o que nos revelam os bebês sobre a organização dos espaços na educação infantil. 2018. 272 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2018.

SPRADLEY, James. Participant Observation. New York: Holt, Rinehart e Winston, 1980.

TEIXEIRA, Inês. Da condição docente: primeiras aproximações teóricas. Educ. Soc., Campinas, v. 28, n. 99, p. 426-443, Aug. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/y6Mndr9brCyRzJRfKG49Qfb/?format=pdf&lang=pt Acesso em 06 jan. 2022.

TELES, Maria Amélia. A participação feminista na luta por creches!. In: FINCO, Daniela; GOBBI, Marcia Aparecida; FARIA, Ana Lúcia Goulart de. (Org.). Creche e feminismo: desafios atuais para uma educação descolonizadora. Campinas: Leitura Crítica, 2015. p. 21-34.

VEIGA-NETO, Alfredo. Cultura e currículo: um passo adiante. In: MOREIRA, Antônio Flávio; PACHECO, José; GARCIA, Regina. (Orgs.). Currículo: sentir, pensar, diferir. Rio de Janeiro: DP&A, 2004. p. 51-55.

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. A questão do meio na pedologia (M. P. Vinha, trad.). Psicologia USP, v. 21, n. 4, 2010. (Trabalho original publicado em 1934). DOI: 10.1590/S0103-65642010000400003. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/psicousp/article/view/42022. Acesso em 06 jan. 2022.

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. Método de Investigação. Obras Escogidas. Volume III. Madrid: Visor-Aprendizaje, 1995. (Trabalho original publicado em 1930).

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. Obras Escogidas. Volume IV. Madrid: Visor Distribuciones, 1997 (Trabalho original publicado em 1932).

VITÓRIA, Telma. Entrevista com Rita Coelho. Debates em Educação, [S. l.], v. 8, n. 16, p. 01-10, 2016. DOI: 10.28998/2175-6600.2016v8n16p01 Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/2810 Acesso em 06 jan. 2022.

ZANELLA, Andréa Vieira; REIS, Alice Casanova dos; TITON, Andréia Piana; URNAU, Lilian Caroline; DASSOLER, Tais Rodrigues. Questões de método em textos de Vygotski: contribuições à pesquisa em Psicologia. Psicologia e Sociologia, v. 19, n. 2, Porto Alegre, mai/ago., 2007. DOI: 10.1590/S0102-71822007000200004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/psoc/a/kpkcWvSFBJZpNkFJqzV5kkn/abstract/?lang=pt. Acesso em 06 jan. 2022.

Publicado

10/06/2022

Como Citar

CORTEZZI, L. de P. .; NEVES, V. F. A.; SALES, S. R. . “Vem, pessoal, descobrir novos horizontes”: as vivências de um currículo da educação infantil. Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. Esp, p. 375–399, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14nEspp375-399. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12621. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Educação Infantil e currículo(s):culturas, docência e formação em debate