As contribuições da didática para uma formação docente humanizada

Autores

  • Maria de Fátima Freitas Nascimento Universidade de Pernambuco - UPE
  • Cristhiane Maria de Bazílio Omena Messias Universidade de Pernambuco - UPE
  • Flávia Emília Cavalcante Valença Fernandes Universidade de Pernambuco - UPE

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2023v15n37pe14827

Palavras-chave:

Ensino, Aprendizagem Significativa, Educação intercultural

Resumo

Na atualidade, não se pode identificar o papel do professor apenas como instrutor. Antes, é requerido que ele atue de modo humanizado e com dialogicidade, não se esquivando da função de ser um constante pesquisador. Este artigo discute a importância da Didática para a formação e o desenvolvimento profissional dos professores e defende a ideia dessa disciplina trabalhar conteúdos que propiciem subsídios teóricos e metodológicos sobre o ensino, onde o ser humano venha a ser o objeto principal do trabalho docente. Aborda questões atuais sobre a formação de professores e busca contribuir para uma reconfiguração da Didática na contemporaneidade de modo a enfatizar as questões relativas às diferenças culturais e, consequentemente, a educação intercultural numa perspectiva humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristhiane Maria de Bazílio Omena Messias, Universidade de Pernambuco - UPE

Possui graduação em Nutrição pela Universidade Federal de Alagoas (2006) e Doutorado em Ciências pela Universidade Federal de Alagoas (2012). Atualmente é Professora Livre Docente, Associada III D da Universidade de Pernambuco - Campus Petrolina, do curso de graduação em Nutrição; Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação stricto sensu Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI) - Nível mestrado ? modalidade profissional da Universidade de Pernambuco Campus Petrolina vinculada a linha de pesquisa "Educação, meio ambiente e saúde"; Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental (PPGCTA) - Nível mestrado - modalidade Acadêmica da Universidade de Pernambuco Campus Petrolina vinculada a linha de pesquisa Tecnologia Ambiental Aplicada ao Semiárido com ênfase em aproveitamento de resíduos na alimentação humana. Tem experiência na área de Nutrição, com ênfase em Nutrição, atuando principalmente nos seguintes temas: Química dos alimentos, Bromatologia e Educação e Saúde.

Flávia Emília Cavalcante Valença Fernandes, Universidade de Pernambuco - UPE

Graduada em Enfermagem pela Universidade de Pernambuco - UPE (2002). Especialista em Saúde Pública com Ênfase em Gestão de Serviços e Saúde da Família (UPE). Mestre em Gestão e Economia da Saúde pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (2014). Doutora em Inovação Terapêutica pelo Programa de Pós-Graduação em Inovação Terapêutica - PPGIT da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (2018). Foi Coordenadora Setorial de Extensão e Cultura da UPE Campus Petrolina entre junho de 2017 e agosto de 2018. Foi Coordenadora do Curso de Enfermagem da Universidade de Pernambuco Campus Petrolina (início em 05/10/2020 e término em 20/04/2021). Atualmente é Professora Adjunta do Colegiado de Enfermagem e Coordenadora Setorial de Extensão e Cultura da UPE Campus Petrolina desde 20/04/2021. É docente Permanente do Programa de Pós-graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI), nível mestrado profissional. É representante da UPE no Comitê Regional de Prevenção aos Acidentes de Moto (CRPAM) da VIII Região de Saúde de Pernambuco. É pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Saúde Coletiva da UPE Campus Petrolina - GPESC/UPE. Tem experiência na área de Saúde Coletiva e Economia da Saúde e desenvolve pesquisas nas áreas de acidentes e violências com utilização de métodos quantitativos.

Referências

ANASTASIOU, L. G. C. Processos formativos de docentes universitários: aspectos teóricos e práticos. In: PIMENTA, Selma Garrido; ALMEIDA, Maria Isabel de (Orgs.). Pedagogia universitária: caminhos para a formação de professores. São Paulo: Cortez, 2011.

ANDRÉ, M. Práticas inovadoras na formação de professores. Papirus Editora,2018.

BOCCATO, V. R. C. Metodologia da pesquisa bibliográfica na área odontológica e o artigo científico como forma de comunicação. Rev. Odontol. Univ. Cidade São Paulo, São Paulo, v. 18, n. 3, p. 265-274, 2006. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/1896. Acesso em: 15. jun.2022.

CANDAU, V. M. A Didática em questão. Petrópolis, Rio de Janeiro: Editora Vozes, 1984

CANDAU, V. M. Da didática fundamental ao fundamental da Didática. In: ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de; OLIVEIRA, Maria Rita Neto Sales (Orgs.). Alternativas no Ensino de Didática. Campinas, São Paulo: Papirus, 1997.

CANDAU, V. M. Didática crítica intercultural: aproximações. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2012.

CANDAU, V. M. Didática, Interculturalidade e Formação de professores: desafios atuais Dossiê: Pedagogia, didática e formação docente: velhos e novos pontos críticos-políticos - Didática, Interculturalidade e Formação de professores: desafios atuais. Edição Especial N.8. Jan./Abr./ 2020 p. 28-44

CARVALHO, F.O; MARTINS, M.C. A interculturalidade na formação do pedagogo brasileiro: territórios de arte & cultura. Revista Educação Online, n. 15, jan./abr. 2014, p. 144-157. Disponível em: https://www.academia.edu/download/77002532/pdf.pdf. Acesso em 08.dez.2022

CASTANHO, S. A Universidade entre o sim, o não e o talvez. In: VEIGA; CASTANHO (Orgs.). Pedagogia Universitária – a aula em foco. Campinas: Papirus, 2006, p. 13-48.

CHAVES, P.J.S; CAVALCANTE, M.M.D; MARTINS, E.S. Didática como Ciência e Didática como componente curricular em cursos de Formação de Professores: análise de documentos oficiais e percepções de estudantes. Revista Cocar Edição Especial N.8. Jan./Abr./2020 p. 126-145. Belém, Pará. Disponível em: https://paginas.uepa.br/seer/index.php/cocar/index. Acesso em 06.dez.2022

CUNHA, M. I. O Lugar da formação do professor universitário: a condição profissional em questão. Reflexões e práticas em pedagogia universitária. Campinas, SP: Papirus, 2007. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

CRUZ, G. B. Didática e docência no ensino superior. Rev. bras. Estud. pedagog., Brasília, v. 98, n. 250, p. 672-689, set./dez. 2017.

DEWEY, J. John Dewey: Democracia e Educação. Capítulos Essenciais. Tradução de Marcus Vinícius da Cunha. São Paulo: Ática, 2007

DOMINGO, J. C. Ser y saber en la formación didáctica del profesorado: una visión personal- Revista Interuniversitaria de Formación del Profesorado, 68 (24,2) (2010), 61-81

FAZENDA, I. C. A. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. Campinas – SP: Papirus, 1993.

FLEURI, R. M. (2001). Desafios à educação intercultural no Brasil. Educação, Sociedade & Cultura, 45-62. Disponível em: http://www.fpce.up.pt/ciie/revistaesc/ESC1 6/16-2.pdf. Acesso em 10. dez.2022.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa, p.13 e 31.25.ed. São Paulo: Paz e Terra,2002.

GATTI, B. A. Didática e formação de professores: provocações. Cadernos de Pesquisa. v.47, n.166, p.1150-1164, out./dez. 2017. Disponível em:

https://www.scielo.br/j/cp/a/h9mXZyNRkNkb5Sy9KrjTrwz/?format=pdf&lang=pt. Acesso em:18.dez. 2022.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, SP: Atlas, 2002.

GUEDES, Sara Alexandra Xavier. A educação inclusiva na prática de ensino supervisionada: o papel das narrativas no processo de (auto) formação. 2021. Tese de Doutorado. Instituto Politecnico de Santarem (Portugal).

LÜCK, H. Pedagogia interdisciplinar: fundamentos teórico-metodológicos. Petrópolis: Vozes, 1994.

LÜDKE, M.; BOING, L. A. (2012). Do trabalho à formação de professores. Cadernos de pesquisa, 42, 428-451.Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-15742012000200007. Acesso em 26. dez.2022.

MARIN, A.J; PENNA, M.G.O; RODRIGUES, A.C.C. A didática e a formação de professores. Revista Diálogo Educ., Curitiba, v.12, n.35, p.55-77, jan/abr. 2012. DOI:10.7213/dialogo.educ.5902.

MARQUES, L.O.C. Interculturalidade na formação de professores do campo: análise de uma experiência. Rev. Bras. Educ. Camp. Tocantinópolis v. 2 n. 2 p. 447-471 jul./dez. 2017. Disponível em: https://betas.uft.edu.br/periodicos/index.php/campo/article/view/3294. Acesso em 11.dez.2022

MIZUKAMI, M. G. N. Aprendizagem da docência: algumas contribuições de Lee. S. Shulman. Educação. Santa Maria, v.29, n.2, 2004, p.33-49.

MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. M. Educação escolar e cultura/s: construindo caminhos, Revista Brasileira de Educação, n.23, mai/ago 2003.

MORIN, E. A cabeça bem feita. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

NICOLETTI, M.M.G. Aprendizagem da docência: formadores professores. Revista E-Curricullum, São Paulo, v.1. n.1, dez-jul.2005-2006. Disponível em: http://www.pucsp.br/ecurricullum. Acesso em 20.jun.2022.

PASTORES, A. A formação continuada na perspectiva do professor reflexivo: uma abordagem a partir das concepções de John Dewey – 2018. 165 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal da Fronteira Sul, Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação - PPGPE, Erechim, RS, 2018.

PERAÍTA – C. S. Experiencia, mundo, linguaje. Alpha no.48 Osorno jul. 2019 http://dx.doi.org/10.32735/s0718-2201201900048613. Acesso em 12.dez.2022

RODRIGUES, D. N. S; SILVA, M.S.L.S; LIMA, K.R.R. Formação e aprendizagem docente: como os professores aprendem a ser professores? Periódico Horizontes – USF – Itatiba, SP, 2021. Disponível em: https://doi.org /10.24933/horizontes. v39i1.1316

SÁ, L. M; MOLINA, M. C. (2020). Licenciaturas em Educação do Campo: Registros e reflexões a partir das experiências piloto (UFMG; UnB; UFBA e UFS). Autêntica Editora.

SANTOMÉ, J. T. Globalização e Interdisciplinaridade: o currículo integrado.

Tradução de Cláudia Schilling. Porto Alegre: Artemed, 1998.

SANTOS, N.A.S; ANDRADE, R.C.L.A; VIEIRA, S.R.V. Chamamento para dossiê temático: Formação Docente: Políticas e Práticas sob a perspectiva Humana. Revista Debates em Educação. Ufal – Alagoas,2022.

SERRAZINA, M. L. M. Conhecimento matemático para ensinar: papel da planificação e da reflexão na formação de professores. Revista Eletrônica de Educação, v.6, n.1, 266-283, maio 2012.

SHULMAN, L. Knowledge and teaching: foundations of the new reform.Harvard Educational Review, Cambridge, v. 57, n. 1, p. 1-22, 1987.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2014.

TERRA, W. A. Formação humana e racionalidade instrumental à luz da teoria crítica da escola de Frankfurt - 2020. 245 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Educação (FE), Programa de Pós-Graduação em Educação, Goiânia, 2020. Texto disponível em: https://repositorio.bc.ufg.br/tede/bitstream/tede/11703/3/Tese%20-%20Welma%20Alegna%20Terra%20-%202020.pdf. Acesso em 28.dez.2022.

VELLOSO, M.P; GUIMARÃES, M.B.L; CRUZ, C.R.R; NEVES, T.C.C. Interdisciplinaridade e formação na área de saúde coletiva. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 14 n. 1, p. 257-271, jan./abr. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sip00097 257. Acesso em 05 de dezembro de 2022.

Downloads

Publicado

2023-05-10

Como Citar

NASCIMENTO, Maria de Fátima Freitas; MESSIAS, Cristhiane Maria de Bazílio Omena; FERNANDES, Flávia Emília Cavalcante Valença. As contribuições da didática para uma formação docente humanizada. Debates em Educação, [S. l.], v. 15, n. 37, p. e14827, 2023. DOI: 10.28998/2175-6600.2023v15n37pe14827. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/14827. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático - Formação Docente: Políticas e Práticas sob a perspectiva Human

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.