Estágio na Educação Infantil e saberes docentes: estudo relacionado ao saber ludo-sensível

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2018v10n21p293-313

Palavras-chave:

Estágio, Epistemologia da prática, Educação Infantil, Saberes docentes, Saber ludo-sensível

Resumo

Este trabalho apresenta uma discussão sobre a contribuição do estágio na construção de saberes docentes, mais especificamente do saber ludo-sensível, que é um saber que integra o saber lúdico e o saber sensível.  É um recorte da pesquisa desenvolvida durante o Mestrado em Educação na Universidade Federal da Bahia, que teve como intuito compreender qual o espaço concedido ao saber ludo-sensível na prática pedagógica de estagiárias de uma Creche, buscando identificar a contribuição do estágio na construção desse saber.  A pesquisa foi inspirada na etnopesquisa e os instrumentos de coleta de dados utilizados foram observação participante e entrevista semiestruturada. Participaram da pesquisa três estagiárias que realizavam estágio remunerado na Creche UFBA, instituição em que a pesquisa foi desenvolvida. Este artigo está organizado da seguinte forma: incialmente apresenta duas discussões, uma, sobre concepções de estágio, e outra, sobre formação docente a partir da compreensão da epistemologia da prática; a seguir, conjectura a respeito do estágio remunerado e da experiência de estágio na Instituição de Educação Infantil, que foi locus da pesquisa; para, por fim, expor resultados encontrados, que evidenciam que o estágio contribuiu na constituição de saberes docentes importantes para a atuação na educação infantil, em especial, na construção do saber ludo-sensível. 

Biografia do Autor

Lucineide Ribas Leite Lima, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Mestra em Educação (UFBA), psicopedagoga e pedagoga. Professora da carreira do EBTT/UFBA.

Cristina D´Ávila, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Graduada em Pedagogia, possui Mestrado em Educação e concluiu o doutorado em Educação pela Universidade Federal da Bahia em 2001. É pós-doutora pela Universidade de Montréal, Quebec, Canadá, na área de formação docente (2006-2007). É Pós-doutora na Université Sorbonne, Paris-Descartes, França (2015-2016). Atualmente é professora Associada da Universidade Federal da Bahia e Professora Titular da Universidade do Estado da Bahia.

Referências

BACELAR, Vera. Educação Infantil: ludicidade, história de vida e formação inicial. Tese de doutorado. Universidade Federal da Bahia. Faculdade de Educação, 2012.

BORGES, Cecília Maria Ferreira. O professor da educação básica e seus saberes profissionais. 1 ª edição. Araraquara: JM Editora. 2004.

CRECHE UFBA. Projeto Inter-ação: projeto de estágio remunerado da Creche UFBA. Salvador, 2010.

______. Projeto Político pedagógico. Universidade Federal da Bahia, Salvador, reformulado em 2012.

D’ÁVILA, Cristina. Saberes docentes: um olhar sobre as práticas pedagógicas no ensino de pós-graduação. Revista Faced, Salvador, n.12, p.89-109, jul/dez. 2007.

______; SONNEVILE, Jacques. Trilhas percorridas na formação de professores: da epistemologia da prática à fenomenologia existencial. In: VEIGA, Ilma Passos; D’ÁVILA, Cristina (Org.). Profissão docente: novos sentidos, novas perspectivas. Campinas, S.P.: Papirus, 2008. (Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

DUARTE JR., O sentido dos sentidos: a educação (do) sensível. Curitiba: Criar edições, 2001.

GAUTHIER, Clermont: et al. Por uma teoria de pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí, RS: UNIJUÍ, 1998.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens: O jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 2000.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro: nº.19, pp. 20-28. Jan./fev./mar., 2002.

LUCKESI, Cipriano. Ludicidade e atividades lúdicas: uma abordagem a partir de uma experiência interna. In: PORTO, Bernadete de Souza (Org.). Ensaios 02: Ludicidade: o que é mesmo isto? Salvador: UFBA/FACED/PPGE/GEPEL, 2002.

______. Formalidade e criatividade na prática pedagógica. Revista ABC EDUCATIO, nº 48, agosto de 2005, páginas 28 e 29.

MATURANA; H. VERDEN-ZÖLLER, G. Amar e brincar: fundamentos esquecidos do humano. São Paulo: Palas Athena, 2004.

MORAES, M. C. O paradigma educacional emergente. 8. ed. São Paulo: Papirus, 2002.

NÓVOA, Antonio. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

PIMENTA, Selma Garrido. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 1997.

______. Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 2002.

______; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2006.

SCHÖN, D. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Coord.) Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

______. Educando o Profissional Reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Trad. Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2000.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude; LAHAYE, Louise. Os professores face ao saber: esboço de uma problemática do saber docente. Teoria & Educação, Porto Alegre, n. 4, 1991.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes: 2002.

THERRIEN, Jacques. A natureza reflexiva da prática docente: elementos da identidade profissional e do saber docente. publicado in: revista educação em debate, ed. ufc, nº 33, 1997a, p. 5-10.

______. Saber da experiência, identidade e competência profissional: como os docentes produzem sua profissão in: revista contexto e educação, ed. unijui, vol.12, nº 48, 1997b. p.7-36

______. Autonomia, saber da experiência e competência no contexto da ética do trabalho docente. In: Carvalho, Antônia D.F. (Org.) Conversas pedagógicas: reflexões sobre o cotidiano da docência. Teresina: EDUFPI, 2010.

Downloads

Publicado

31/08/2018

Como Citar

LIMA, L. R. L.; D´ÁVILA, C. Estágio na Educação Infantil e saberes docentes: estudo relacionado ao saber ludo-sensível. Debates em Educação, [S. l.], v. 10, n. 21, p. 293–313, 2018. DOI: 10.28998/2175-6600.2018v10n21p293-313. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/4089. Acesso em: 28 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos