O Proeja e seus sujeitos, profissão e saberes da experiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n26p515-526

Palavras-chave:

PROEJA, Saberes do Trabalho, Profissão, EJA.

Resumo

O artigo se propõe a contribuir com a construção de propostas político-pedagógicas de cursos do Programa de Educação Profissional Integrada à Educação Básica na Modalidade Educação de Jovens e Adultos (PROEJA), a partir de um ensaio teórico. Argumenta-se que os saberes da experiência de trabalho e o conceito de profissão são centrais para a construção do currículo desses cursos, na perspectiva da formação humana. Recorre-se a estudos da relação Trabalho e Educação, em especial às abordagens da dualidade do sistema de ensino e do processo de compreensão histórica, social e pedagógica do PROEJA no Brasil, a partir de autores que defendem o processo de integração entre a educação profissional e a educação de jovens e adultos, bem como a estudos do trabalho e da sociologia das profissões.

Biografia do Autor

Naira Lisboa Franzoi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Departamento de Estudos Especializados - DEE

Maria Clara Bueno Fischer, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Departamento de Estudos Especializados - DEE

Faculdade de Educaçao

Programa de Pós-Graduaçao em Educaçao.

Referências

BRASIL. Decreto nº 5.154 de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 26 jul. 2004. p. 18. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5154.htm>. Acesso em: 01 jul. 2019.

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 30 dez. 2008. p. 1. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm>. Acesso em: 01 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura (MEC). CONAE – Conferência Nacional de Educação 2010: construindo o sistema nacional articulado de educação: o plano nacional de educação, diretrizes e estratégias de ação. Documento final. Brasília, 2010. Disponível em: <http://conae.mec.gov.br/images/stories/pdf/pdf/documento_final.pdf>. Acesso em: 10 jul. 2019.

BRASIL, Ministério do Trabalho. Classificação Brasileira das Ocupações. Brasília, 2017. Disponível em: <http://www.mtecbo.gov.br/cbosite/pages/regulamentacao.jsf>. Acesso em: 01 maio 2017.

COSTA, Áurea de Carvalho. Anônimas odisseias: a dupla destituição do direito à educação e ao trabalho na infância e na vida adulta. São Paulo: Annablume, 2005.

DUBAR, Claude. A Socialização: construção das identidades sociais e profissionais. Porto: Porto Editora, 1997.

FREIDSON, Eliot. Renascimento do profissionalismo: teoria, profecia e política. São Paulo: Edusp, 1998.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A relação da educação profissional e tecnológica com a universalização da educação básica. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, pp. 1129-1152, 2007.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. A política de educação profissional no Governo Lula: um percurso histórico controvertido. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 92, p. 1087-1113, out. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302005000300017&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 25 jul. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302005000300017.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: objetiva, 2009.

IIEP. Intercâmbio, Informações, Estudos e Pesquisas. A qualificação profissional como política pública. Santo André: IIEP, 2002.

KUENZER, Acácia Zeneida. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval; SANFELICE, José Luís (Org.). Capitalismo, trabalho e educação. Campinas: Autores Associados, 2005. p. 77-96.

NOSELLA, Paolo. Trabalho e perspectivas de formação dos trabalhadores: para além da formação politécnica. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 34, p. 137-151, 2007.

SCHWARTZ, Yves; DURRIVE, Louis (Org.). Trabalho e Ergologia: conversas sobre a atividade humana. Niterói: EDUFF, 2010.

Downloads

Publicado

06/04/2020

Como Citar

FRANZOI, N. L.; BUENO FISCHER, M. C. O Proeja e seus sujeitos, profissão e saberes da experiência. Debates em Educação, [S. l.], v. 12, n. 26, p. 515–526, 2020. DOI: 10.28998/2175-6600.2020v12n26p515-526. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/8197. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

Dossiê "PROEJA Artesanato"

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)