A educação online e os desenhos didáticos com interfaces móveis: autorias em ambientes virtuais de aprendizagem web e aplicativos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p785-804

Palavras-chave:

Autoria docente. Desenhos didáticos. Educação online. Aplicativos. Pesquisa-formação na cibercultura.

Resumo

A temática principal da pesquisa é o uso de ambientes de aprendizagem e ensino móveis como tática pedagógica para a emergência de dispositivos de pesquisa e autoria. A metodologia utilizada é a pesquisa-formação na cibercultura, com o desenvolvimento da pesquisa ocorrendo ao longo de processos formativos. O objetivo é compreender como ocorre a autoria de desenhos didáticos com aplicativos na educação online, considerando a articulação entre ambientes virtuais de aprendizagem web e interfaces móveis. O campo de pesquisa delineou-se durante o curso Formação de Docentes para a Educação Online do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ). Como achado, tem-se a noção subsunçora “Autoria de desenhos didáticos com interfaces móveis na educação online”, fruto da reflexão sobre uma pedagogia que considere os aplicativos e as transformações decorrentes da mobilidade ubíqua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vivian Martins, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ)

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), na linha de pesquisa ?Cotidianos, redes educativas e processos culturais?. Possui mestrado em Educação pela UERJ, especialização em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância pela Universidade Federal Fluminense (UFF) - 2015, MBA em Gestão de Recursos Humanos pela UFF - 2011, Licenciatura e Bacharelado em Pedagogia pela UERJ - 2009. Professora de Educação a Distância e Tecnologias Educacionais do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ). Membro do Grupo de Pesquisa Docência e Cibercultura (GPDOC-UERJ) e do grupo Literacia visual: pesquisa, ensino e formação docente em Artes (IFRJ). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em educação e cibercultura, pesquisa e prática pedagógica, formação de professores, educação online e tecnologias educacionais. Site: http://docenciaonline.pro.br/moodle/course/view.php?id=87 E-mail: vivian.martinst@gmail.com

Edméa Santos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Professora Titular-Livre da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Atua no Instituto de Educação e no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDUC), na linha de pesquisa " Linha 1: Estudos Contemporâneos e Práticas Educativas". Foi professora Associada da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), atuando na Graduação e no Programa de Pós-Graduação em Educação (PROPED/UERJ), durante o período de 2007 a 2018 (onde colabora, junto à linha de pesquisa "Cotidianos, redes educativas e processos culturais"). Professora da disciplina Informática na Educação no curso de Pedagogia a Distância UERJ/CEDERJ. Editora-chefe da Revista Docência e Cibercultura. Pedagoga pela UCSAL, mestre e doutora em Educação pela UFBA. Pós-doutora em e-learning e EAD pela UAB-PT, onde colabora esporadicamente no MPEL - Mestrado em Pedagogia do e-Learning . Líder do GPDOC - Grupo de Pesquisa Docência e Cibercultura. Membro do Laboratório de Imagem da UERJ. Coordenadora do GT 16 - "Educação e Comunicação" da ANPED - Associação Brasileira de Pesquisa em Educação , vice-presidente da ABCIBER - Associação de Pesquisadores em Cibercultura. Atua na formação inicial e continuada de professores e pesquisadores. Áreas de atuação: "Educação e Cibercultura, Pesquisa e Práticas Pedagógicas, Formação de Professores, Didática, Currículos: teorias, práticas e políticas, Informática na Educação, Educação Online , EAD.

Referências

AMARAL, Mirian Maia. (2014). Autorias docente e discente: pilares de sustentabilidade na produção textual e imagética em redes educativas presenciais e online. 239 f. Tese de Doutorado em Educação e Cultura Contemporânea – Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro.

BARBOSA, Débor N. F. (2008). Em direção a educação ubíqua: aprender sempre, em qualquer lugar, com qualquer dispositivo. UFRGS, v. 6, n. 1.

CALEUM. (2018). Apostila UX de usabilidade aplicados em mobile e web. Grupo Caleum: São Paulo, s.d. Disponível em: https://www.caelum.com.br/apostila-ux-usabilidade-mobile-web/usabilidade-mobile/. Acesso em: 22 set 2018.

CERTEAU, Michel de. (1994). A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes.

COSTA, Maria Rosa E. M; MARINS, Vânia. (2011). Aula 2 – Interfaces. Lante/UFF. Disponível em: http://www.webtuga.com/wikipedia-com-interface-renovada Acesso em: 27 abr 2018.

D’AVILLA, Carina; SANTOS, Edméa O. (2014). Imagens voláteis e formação de professorxs: dispositivos tecnológicos e lúdicos para as práticas pedagógicas. Revista Entreideias: educação, cultura e sociedade (online), v. 3, p. 113-127.

LEMOS, André. (2010). Celulares, funções pós-midiáticas, cidade e mobilidade. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana (Brazilian Journal of Urban Management), v. 2, n. 2, p. 155-166, jul./dez.

LEVY, Pierre. (1999). Cibercultura. São Paulo: Ed. 34.

MACEDO, Roberto S. (2009). Outras luzes: um rigor intercrítico para uma etnopesquisa política. In: MACEDO, Roberto S.; GALEFFI, Dante; PIMENTEL, Álamo. Um rigor outro sobre a qualidade na pesquisa qualitativa: educação e ciências humanas. Salvador: EDUFBA. p. 75-126.

MICHAELIS, Dicionário. (2019). Ubiquidade. Disponível em: http://michaelis.uol.com.br/busca?r=0&f=0&t=0&palavra=ubiquidade. Acesso em: 18 ago 2019.

OLIVEIRA, Inês Barbosa; ALVES, Nilda (Orgs.). (2008). Pesquisa nos/dos/com os cotidianos das escolas. 3ª ed. Petrópolis: DP&A, p.13-38.

OLIVEIRA, Inês Barbosa. (2003). Currículos praticados: entre a regulação e a emancipação. Rio de Janeiro: DP&A.

SANTAELLA, Lúcia. (2013). Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação. São Paulo: Paulus.

______. (2007). Linguagens líquidas na era da mobilidade. São Paulo: Paulus.

SANTOS, Edméa O. (2003). Ambientes virtuais de aprendizagem: por autorias livres, plurais e gratuitas. In: Revista FAEBA, v.12, no. 18.

______. (2015). A mobilidade cibercultural: cotidianos na interface educação e comunicação. Revista Em Aberto, Brasília, v. 28, n. 94, p. 134-145, jul./dez.

______. (2014). Pesquisa-formação na cibercultura. 1. ed. Santo Tirso: Whitebooks. v. 1. 202p.

SANTOS, Edméa; SILVA, Marco. (2009). Desenho didático para educação on-line. Revista Em aberto, Brasília, v. 22, n. 79, p. 105-120, jan.

VICTORIO FILHO, A. (2007). Pesquisar o cotidiano é criar metodologias. Educação & Sociedade (Impresso), v. 28, p. 97-110.

Downloads

Publicado

2020-06-22

Como Citar

MARTINS, Vivian; SANTOS, Edméa; FERREIRA DUARTE DA SILVA, Érika. A educação online e os desenhos didáticos com interfaces móveis: autorias em ambientes virtuais de aprendizagem web e aplicativos. Debates em Educação, [S. l.], v. 12, n. 27, p. 785–804, 2020. DOI: 10.28998/2175-6600.2020v12n27p785-804. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/9397. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê "Séries televisivas, games e aplicativos: entretenimento e cenários de aprendizagens"

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.