Fatores determinantes da evasão de estudantes de cursos superiores de tecnologia

Autores

  • Josimar de Aparecido Vieira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Sertão http://orcid.org/0000-0003-3156-8590
  • Emanuele de Souza Teló Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Sertão https://orcid.org/0000-0002-0427-4063
  • Marilandi Maria Mascarello Vieira Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ) https://orcid.org/0000-0002-5531-9946

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13n32p297-322

Palavras-chave:

Educação profissional e tecnológica, Cursos Superiores de Tecnologia, Evasão/desistência

Resumo

A evasão escolar é um fenômeno complexo e comum às instituições de ensino superior da sociedade contemporânea e está presente, principalmente, nos Cursos Superiores de Tecnologia (CST). Neste estudo buscou-se compreender fatores que contribuem para a evasão de estudantes que ingressam em CST, analisando a situação escolar/acadêmica como ex-estudantes. Caracterizado como pesquisa exploratória e descritiva, foi desenvolvido seguindo abordagem qualitativa e quantitativa por meio de pesquisa de campo, assumindo a forma de estudo de caso. Foram envolvidos 95 ex-estudantes de quatro CST de um Instituto Federal da Região Sul do país, ingressantes entre os anos 2010 a 2018 por meio da aplicação de questionário. Os resultados apontam que contradições e conflitos existentes no processo de evasão são múltiplos, desde dificuldades dos estudantes até as de caráter institucional. A instituição de ensino precisa conhecer quem são seus estudantes, ajudando-os nas suas necessidades concretas.

Biografia do Autor

Josimar de Aparecido Vieira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Sertão

Possui graduação em Pedagogia pela Fundação de Ensino do Desenvolvimento do Oeste (1986), especialização em Supervisão Escolar pela Fundação de Ensino do Desenvolvimento do Oeste (1988), Mestrado em Educação pela Universidade de Passo Fundo - UPF (2000) e Doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS (2011). Atualmente é Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico da área de Pedagogia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Sertão. É professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT). É membro do Banco de Avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (BASis), nomeado pela Portaria MEC nº 856 de 17/09/2018. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em didática e organização pedagógica do ensino, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, práticas pedagógicas, educação profissional, educação superior e educação do campo.

Emanuele de Souza Teló, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Sertão

Frequenta Curso de Zootecnia no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Sertão. Atua como bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS).

Marilandi Maria Mascarello Vieira, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)

Possui Graduação em Estudos Sociais pela Fundação de Ensino do Desenvolvimento do Oeste (1983), Graduação em Pedagogia pela Fundação de Ensino do Desenvolvimento do Oeste (1984), Graduação em História pela Fundação Educacional do Oeste Catarinense (1987), Curso de Especialização em Supervisão Escolar (1988), Mestrado em Educação pela Universidade de Passo Fundo (1999), Graduação em Direito pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (2007), Curso de Especialização em Direito Processual Civil pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (2009), Mestrado em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (2011) e doutorado em Educação nas Ciências (2017) pela UNIJUI. É professora aposentada do Instituto Federal do Rio Grande do Sul - IFRS - Câmpus Sertão e atualmente é professora do Programa de Pós-Graduação em Educação na Unochapecó, atuando nos seguintes temas: educação profissional - formação de professores - políticas da educação.

Referências

ANDRADE, A. F. B. Cursos superiores de tecnologia: um estudo de sua demanda sob a ótica dos estudantes. 2009. 152 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília/DF, 2009.

ANDRIOLA, W. B.; ANDRIOLA, C. G.; MOURA, C. P. Opiniões de docentes e de coordenadores acerca do fenômeno da evasão discente dos cursos de graduação da Universidade Federal do Ceará (UFC), Ensaio: aval. pol. publ. educ. Rio de Janeiro, v. 14, n. 52, p. 365-379, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ensaio/v14n52/a06v1452.pdf. Acesso em: 17 jun. 2020.

ARAÚJO, A. B. Educação tecnológica para a indústria brasileira. Revista Brasileira de Educação Profissional e Tecnológica, Natal, v. 1, n. 1, jun. 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/rev_brasileira.pdf. Acesso em: 20 jan. 2016.

BORBA, A. M. A metodologia pertinente ao estudo da identidade de professores na prática da avaliação escolar. Contrapontos. Itajaí, v. 1, n. 1, jan/jun. 2001. Disponível em: https://siaiap32.univali.br//seer/index.php/rc/article/viewFile/31/28. Acesso em: 26 jun. 2020.

BRASIL. Lei nº 11.741, de 16 de julho de 2008. Altera dispositivos da redação original da LDB, para redimensionar, institucionalizar e integrar as ações da educação profissional técnica de nível médio, da educação de jovens e adultos e da educação profissional e tecnológica. Brasília, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11741.htm. Acesso em: 29 jun. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Brasília, 1996. Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/topicos/11689531/artigo-39-da-lei-n-9394-de-20-de-dezembro-de-1996. Acesso em: 26 jun. 2020.

BRASIL. Lei nº 5.540, de 28 de novembro de 1968. Brasília, 1968. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1960-1969/lei-5540-28-novembro-1968-359201-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 22 jun. 2020.

BRASIL. Resolução CNE/CP 3, de 18 de dezembro de 2002. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a organização e o funcionamento dos cursos superiores de tecnologia. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 2002. Seção 1, p. 162. Acesso em: 26 jun. 2020.

BRASIL/MEC/SESU. Secretaria de Educação Superior/Ministério da Educação. Comissão especial de estudos sobre a evasão nas universidades públicas brasileiras. Brasília, 1997. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me001613.pdf. Acesso em: 17 jun. 2020.

BRASIL. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica/Ministério da Educação. Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia. Brasília, 2016, 194 p. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=98211-cncst-2016-a&category_slug=outubro-2018-pdf-1&Itemid=30192. Acesso em: 10 jul. 2020.

CARDOSO, C. B. Efeitos da política de cotas na Universidade de Brasília: uma análise do rendimento e da evasão. 2008. 132 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília. 2008. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/1891. Acesso em: 17 jun. 2020.

DETREGIACHI FILHO, E. A evasão escolar na educação tecnológica: estudo de uma unidade do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza. 2012. 127 p. Tese (Doutorado em Políticas Públicas e Administração) - Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2012. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/104852/detregiachifilho_e_dr_mar.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 28 jul. 2020.

GOMES, A. A. Evasão e evadidos: o discurso dos ex-alunos sobre evasão escolar nos cursos de licenciatura. 1998. 175 p. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Estadual Paulista, São Paulo – SP, 1998.

MELLO, S. P. T. et al. O fenômeno evasão nos cursos superiores de tecnologia: um estudo de caso em uma universidade pública no sul do Brasil. In: Anais [...]. Florianópolis, UFSC, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/113096/2013129%20-%20O%20fen%c3%b4meno%20evas%c3%a3o%20nos%20cursos%20superiores.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 25 jul. 2020.

MERCURI, E. N. G. S.; POLYDORO, S. A. J. O compromisso com o curso no processo de permanência/evasão no ensino superior: algumas contribuições. In: MERCURI, E. N. G. S.; POLYDORO, S. A. J. (Orgs). Estudante universitário: características e experiências de formação. Taubaté: Cabral Editora e Livraria Universitária, 2003.

POLYDORO, S. A. J. O trancamento de matrícula na trajetória acadêmica no universitário: condições de saída e de retorno à instituição. 2000. 167 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/bitstream/REPOSIP/253539/1/Polydoro_SoelyAparecidaJorge_D.pdf. Acesso em: 17 jun. 2020.

RIBEIRO, M. A. O projeto profissional familiar como determinante da evasão universitária – um estudo preliminar. Revista Brasileira de Orientação Profissional, Universidade de São Paulo, v. 6, n. 2, p. 55-70, 2005.

RIBEIRO, C. As causas da evasão universitária. In: Encontro setorial dos cursos de graduação da UNESP, Águas de Lindóia. Anais... São Paulo: UNESP, 1995. p. 176-190.

SANTOS, R. S. Evasão nos cursos de Tecnologia em Sistemas para Internet e Licenciatura em Computação do Instituto Federal do Triângulo Mineiro – Campus Uberlândia Centro: 2010/2014. 2016. 139f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Tecnológica). IFTM, Uberaba, 2016.

SILVA, P. R. Contradições entre políticas de investimento, expansão de vagas e evasão na Educação Profissional. 2013. 103p. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE, 2013. Disponível em: http://bdtd.unoeste.br:8080/jspui/bitstream/tede/902/1/Defesa_corrigida_18_06.pdf. Acesso em: 28 jul. 2020.

SOUZA, J. B. Política de expansão dos cursos superiores de tecnologia: nova face da educação profissional e tecnológica. 2012. 216 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte/MG, 2012.

SUFI, R. C. A Evasão nos Cursos Superiores de Tecnologia em uma Faculdade do Interior Paulista. 2018. 103 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Oeste Paulista – Unoeste, Presidente Prudente, SP. 2018.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VELOSO, T. C. M. A. A evasão nos cursos de graduação da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Cuiabá 1985/2 a 1995/2 - um processo de exclusão. 2000. 135 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2000.

VICENTE, Z. C. M. O curso superior de tecnologia tem condições de promover ascensão socioeconômica? - o caso da FATEC Mococa. 2018. 143 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Downloads

Publicado

31/08/2021

Como Citar

VIEIRA, J. de A.; TELÓ, E. de S.; VIEIRA, M. M. M. Fatores determinantes da evasão de estudantes de cursos superiores de tecnologia. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. 32, p. 297–322, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13n32p297-322. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/10936. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos