Ciências na educação infantil: explorando a idade dos porquês

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n26p1-14

Palavras-chave:

Educação infantil, ciências, atividades

Resumo

A educação infantil é a primeira etapa da educação básica, tendo como finalidade o desenvolvimento integral da criança até cinco anos de idade. O objetivo deste trabalho foi verificar como aproveitar a fase de curiosidade infantil para a construção de conhecimentos de ciências. Tendo a legislação e a descrição de estudiosos da área da educação infantil como norteadores, foi realizada uma pesquisa bibliográfica em busca de descrever as possibilidades de atividades a serem desenvolvidas na educação infantil. Como sugestão de atividades destacamos a construção de horta, a produção de picolés, a hora da história e os momentos de higiene. Concluímos que é preciso conhecer as fases de desenvolvimentos das crianças e as suas potencialidades.

Biografia do Autor

Loraine Rodrigues Jardim, Secretaria Municipal de Educação de São Gabriel (SEME – São Gabriel/RS)

Possui graduação em Ciências Biológicas - Licenciatura pela Universidade Federal de Rio Grande-FURG (2010), Licenciada em Pedagogica pela UNINTER (2018), possui especialização em Educação Especial e Inclusiva pela UNINTER (2014) e mestrado em Ciências pelo PPG Ciências e Tecnologia de Sementes da Universidade Federal de Pelotas -UFPel (2012). Professora de Ciências na rede municipal de ensino da cidade de São Gabriel-RS.

 

Referências

ANDERSON, J.; GORDON, M. Era uma vez uma gota de chuva. São Paulo: Scipione, 2012.

ANTUNES, C. Projetos e práticas pedagógicas na Educação Infantil. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

BELLINGHAUSEN, I.B. O mundinho azul. São Paulo: Farol Literário, 2011.

BOTEGA, M. P. Ensino de ciências na Educação Infantil: formação de professores da rede municipal de ensino de Santa Maria, RS, Brasil. 135 pg. Tese de doutorado. Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Naturais e Exatas, Programa de Pós Graduação em Educação em Ciências :Química da Vida e Saúde, RS, 2015.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL, Lei nº 8.069 de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente. 1990.

BRASIL. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394/1996, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União.Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998. 3v.

BRASIL. Lei nº 11.114 de maio de 2005. Altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação. 2005

BRASIL. Emenda Constitucional nº 53, de 19 de dezembro de 2006.

BRASIL, Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 5, de 17 de dezembro de 2009. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil.2009

BRASIL. Lei nº 12.796 de 4 de abril de 2013. Altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 2013.

BRASIL. Lei nº 13.306 de 4 de julho de 2016. Altera o Estatuto da Criança e do Adolescente. 2016

CATUNDA, C. O Show da Luna. Disponível em: http://www.tvpinguim.com/. Acesso em: 11 de setembro de 2017.

COUTINHO, F.A.; GOULART, M.I.; PEREIRA, A.F. Aprendendo a ser afetado: contribuições para a educação infantil. Educação em Revista, n. 33. Belo Horizonte, 2017.

FANTIN, M.E.; TAUSCHECK, N.M.; NEVES, D. L. Metodologia do ensino de Geografia. Curitiba: InterSaberes,2013

LUPORINI, M. Galinha Pintadinha 3. Disponível em: http://www.galinhapintadinha.com.br/musicas/letras/dvd- galinha-pintadinha-vol-3/Acesso em: 11 de setembro de 2017.

LUTTEMBARCK, A. Pinga pingo pingado. Ilustrações Saulo Weikert Bicalho. Belo Horizonte: Fino Traço Editora,2011.

MARINKOVIC, S. O que Ana sabe sobre alimentos saudáveis. Ilustrações DusanPavlic. São Paulo: Nova Alexandria, 2010.

MORTIMER, E.F. Linguagem e formação de conceitos no ensino de Ciências. Belo Horizonte: Editora UFMG,2000.

NUNES, A.I.B.L.; SILVEIRA, R.N. Psicologia da Aprendizagem: processos, teorias e contextos. 3 ed. Brasília: Liber Livro.2011.

POLESE, N.C. Aprendizagem infantil através do Construtivismo: ensinar e aprender. Revista espaço acadêmico. Nº 134. Julho de 2012.

RAMOS, A.C. Ar - para que serve o ar. Belo Horizonte: Editora Dimensões, 2011.

RAU, M.C.T.D. Educação infantil: práticas pedagógicas de ensino e aprendizagem (livro eletrônico). Curitiba: Intersaberes,2012.

ROMANATTO, M.C.; VIVEIRO, A.A. Aprofundamento científico: um direito de aprendizagem. In.: Pacto nacional pela alfabetização na idade certa- ciências da natureza no ciclo da alfabetização. Caderno 08. Ministério da educação, secretaria de educação básica, diretoria de apoio à gestão educacional. Brasília: MEC, SEB, 2015

SANT’ANNA, E. Pingo d’agua. Ilustrações Nelson Tunes. Belo Horizonte: Editora Minguilin,2010.

VYGOTSKY, L.S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: WMF Martins Fontes Editora Ltda, 2009.

Downloads

Publicado

06/04/2020

Como Citar

JARDIM, L. R. Ciências na educação infantil: explorando a idade dos porquês. Debates em Educação, [S. l.], v. 12, n. 26, p. 1–14, 2020. DOI: 10.28998/2175-6600.2020v12n26p1-14. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/6100. Acesso em: 25 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)