Formação para o cuidado no curso de enfermagem

o que dizem os documentos institucionais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13n32p323-347

Palavras-chave:

Cuidado de Enfermagem, Estágio, Matriz curricular, Educação em Enfermagem

Resumo

Objetiva-se caracterizar a formação para o cuidado de Enfermagem, realizada no Estágio/Internato, do curso de Enfermagem da Universidade Estadual do Ceará - UECE, no período de 1979 a 2018. Trata-se de investigação qualitativa, com abordagem histórica, do tipo documental, voltando-se para Projetos Pedagógicos e matrizes curriculares de Enfermagem. O Estágio encontra-se em constantes transformações. No último currículo, passou a ter como proposta Internato. É preciso reconhecer a dinamicidade do currículo, que atende às demandas da profissão, bem como as perspectivas pedagógicas da formação. Portanto, o desenvolvimento desse tipo de pesquisa constitui-se pertinente estratégia para conhecer melhor os aspectos que perpassam a Educação em Enfermagem.

Biografia do Autor

Elane da Silva Barbosa, UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE

Doutora e Mestra em Educação, respectivamente, pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN e pela Universidade Estadual do Ceará - UECE. Bacharelada e Licenciada em Enfermagem pela UERN. Membro do Grupo de Pesquisa Educação, História e Saúde Coletiva (GPEHSC) da UECE.

Silvia Maria Nóbrega-Therrien, UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE

Doutora em Sociologia da Educação, pela Universidade de Salamanca. Enfermeira e Mestra em Educação pela Universidade Federal do Ceará - UFC. Atualmente é professor Assistente N da UECE, atuando no Programa de Pós-Graduação em Educação e no Curso de graduação em Medicina. Líder do Grupo de Pesquisa Educação, História e Saúde Coletiva (GPEHSC). Membro da Câmara de Ciências Humanas, Linguagem e Artes da FUNCAP - Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Ceará. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2.

Referências

BENITO, Gladys Amélia Velez; TRISTÃO, Kamila Medani; PAULA, Ana Claúdia Schuab Faria de; SANTOS, Mariana Andrade dos; ATAÍDE, Lorena Jácome; LIMA, Rita de Cássia Duarte. Desenvolvimento de competências gerais durante o estágio supervisionado. Rev. Bras. Enferm., Brasília, v. 65, n. 01, p. 172-178, jan-fev, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v65n1/25.pdf Acesso em: 08 jul. 2018.

BRASIL. Lei nº 6.494, de 7 de dezembro de 1977. Dispõe sobre os estágios de estudantes de estabelecimento de ensino superior e ensino profissionalizante do 2º Grau e Supletivo e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, 1977. Disponível em: http://www.fssestagio.uerj.br/legislacao/lei6494.pdf Acesso em: 20 jun. 2018.

BRASIL. Decreto nº 87.497, de 18 de agosto de 1982. Regulamenta a Lei nº 6.494, de 07 de dezembro de 1977, que dispõe sobre o estágio de estudantes de estabelecimentos de ensino superior e de 2º grau regular e supletivo, nos limites que especifica e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, 1982. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1980-1987/decreto-87497-18-agosto-1982-437538-norma-pe.html Acesso em: 20 jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Portaria n. 1721, de 15 de dezembro de 1994. Dispõe sobre xcurrículo mínimo e duração do Curso de Enfermagem. Diário Oficial da União. Brasília, 1994. Seção 1, p. 19.801. Disponível em: http://www.portaldaenfermagem.com.br/legislacao- read.asp?id=305 Acesso em: 21 abril 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Superior. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. Resolução do Conselho Nacional de Educação/Conselho Estadual de Saúde, nº 3, de 7 de novembro de 2001. Ministério da Educação. Brasília, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/Enf.pdf Acesso em: 20 maio 2018.

COLLIÈRE, Marie Fraçoise. Promover la vida. Cidade do México: McGraw-Hill, 2001.

COLOMBO, Irineu Mário; BALLÃO, Carmen Mazepa. Histórico e aplicação da legislação de estágio no Brasil. Educar em Revista, Curitiba, n. 53, p. 171-186, jul./set., 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/n53/11.pdf Acesso em: 12 jul. 2018.

CONDE, Erica Pires. O pedagógico na evolução histórica legal do estágio supervisionado. Revista Espaço do Currículo, João Pessoa, v. 09, n. 02, p. 359 – 368, maio-agos., 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rec/article/view/rec.v9i2.25666/16100 Acesso em: 20 maio. 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

FREITAS, Maria Teresa de Assunção. A abordagem sociohistórica como orientadora da pesquisa qualitativa. Cadernos de Pesquisa, São Luís, v. 01, n. 116, p. 21-39, julho, 2002. Disponível em: http:// www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100- 15742002000200002 Acesso em: 30 nov. 2016.

GARCIA, Simone Domingues; VANNUCHI, Marli Terezinha Oliveira; GARANHANI, Maria Lúcia; SORDI, Mara Regina Lemes de. Internato de enfermagem: o significado para os internos de uma universidade pública. Revista de Enfermagem da UERJ, Rio de Janeiro, v. 22, n. 02, p. 212- 218, 2014. Disponível em: http://www.e- publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/13601/10407/ Acesso em: 15 out. 2015.

GEOVANINI, Telma; MOREIRA, Almerinda; SCHOELLER, Soraia Dornelles; MACHADO, William César Alves. História da Enfermagem: versões e interpretações. 4 ed. Rio de Janeiro: Thiemer Revinter Publicações, 2019.

GONZÁLEZ, José Siles. Teoria e método nos estudos históricos em enfermagem – o Modelo Estrutural Dialético dos Cuidados (MEDC). In: OGUISSO, TAKA; FREITAS, Genival Fernandes de; GONZÁLEZ, José Siles. (Orgs.). Enfermagem: história, cultura dos cuidados e métodos. Rio de Janeiro: Águia Dourada, 2016.

IGNOTTI, Beatriz Silva; VANNUCHI, Marli Terezinha Oliveira; GARCIA, Simone Rodrigues; SIMÕES, Thayane Roberto, Estruturação do Internato de Enfermagem na Percepção dos Internos. Revista Brasileira de Educação Médica, Brasília, v. 38, n. 04, p. 444-450, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v38n4/05.pdf Acesso em: 04 jul. 2018.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas.

ed. São Paulo: EPU, 2013.

MARRAN, Ana Lúcia; LIMA, Paulo Gomes; BAGNATO, Maria Helena Salgado. As políticas educacionais e o estágio curricular supervisionado no curso de graduação em enfermagem. Trabalho, Educação, Saúde, Rio de Janeiro, v. 13 n. 1, p. 89-108, jan./abr., 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tes/v13n1/1981-7746-tes-1981-7746-sip00025.pdf Acesso em: 08 jul. 2018.

MATTOS, Ruben Araújo de. Os sentidos da integralidade: algumas reflexões acerca de valores que merecem ser defendidos. In: PINHEIRO, Roseni; MATTOS, Ruben Araújo de. A. Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde. Rio de Janeiro: CEPESC, IMS/UERJ, ABRASCO, 2009. p. 43-67.

MENDES, Emanoela Terezinha Bessa. A formação da enfermeira cearense e a Escola de Enfermagem São Vicente de Paulo (1943-1977). 2013. 306 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Educação) – Centro de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual do Ceará, 2013.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 03, p. 621-626, 2012. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/csc/v17n3/v17n3a07.pdf Acesso em: 11 fev. 2018.

NÓBREGA-THERRIEN, Silvia Maria; ALMEIDA, Maria Irismar; SILVA, Marcelo Gurgel Carlos da. Ensino de Enfermagem no Ceará de 1942-1956: a memória que projeta o futuro. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 61, n. 01, p. 125-130, 2008a. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-71672008000100021&script=sci_arttext / Acesso em: 21 maio 2015.

NÓBREGA-THERRIEN, Silvia Maria; ALMEIDA, Maria Irismar; SILVA, Marcelo Gurgel Carlos da. Enfermagem no Ceará: fatos, reflexões e propostas para a preservação da história e memória da profissão. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 61, n. 02, p. 258-261, 2008b. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-71672008000200019&script=sci_arttext/ Acesso em: 21 maio 2015.

OLIVEIRA, Maria Amélia de Campos; VERÍSSIMO, M. de Lá Ó Ramalho; PUSCHEL, Vilanice de Araújo; RIESCO, Maria Luiza Gonzalez. Desafios da formação em enfermagem no Brasil: proposta curricular da EEUSP para o bacharelado em enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 41, n. especial, p. 820-825, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080- 62342007000500014/ Acesso em: 15 out. 2015.

PADILHA, Maria Itayra Coelho de Souza; BORENSTEIN, Miriam Süsskind. O método de pesquisa histórica na enfermagem. Texto Contexto Enfermagem, Florianópolis, v.14, n. 04, p. 575-584, 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v14n4/a15v14n4.pdf Acesso: 15 jun. 2016.

PADILHA, Maria Itayra Coelho de Souza; MANCIA, Joel Rolim. Florence Nightingale e as irmãs de caridade: revisitando a história. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 58, n. 06, p. 723-726, nov.-dez., 2005. Disponível em: http:// www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672005000600018

Acesso: 15 set. 2016.

MARIA, Vania Oliveira Santos; SILVA, Maria Vírginia Godoy da; BERARDINELLI, Lina Márcia Migues. Preceptoria: elo da integração docente assistencial – suporte para o internato de Enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 44, n. 01, p. 49-54, 1991. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034- 71671991000100009&script=sci_arttext/ Acesso em: 15 dez. 2015.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias de currículo. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE. Justificativa do Curso de Enfermagem. Fortaleza: UECE, 1985.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE. Centro de Ciências da Saúde/Universidade Estadual do Ceará. Projeto Político Pedagógico do Curso de Graduação em Enfermagem. Fortaleza: UECE, 1997.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção coletiva. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro (Org.). Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. 14. ed. Campinas: Papirus, 2002.

VIEIRA, Alcivan Nunes; SILVEIRA, Lia Carneiro. O cuidado e a clínica na formação do enfermeiro: saberes, práticas e modos de subjetivação. Revista da Escola de Enfermagem Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 15, n. 04, p.776-783, 2011. Disponível em: http:// www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452011000400017/ Acesso em: 15 dez. 2016.

ZABALZA, Miguel Antoni. O estágio e as práticas em contextos profissionais na formação universitária. São Paulo: Cortez, 2014.

Downloads

Publicado

31/08/2021

Como Citar

BARBOSA, E. da S.; NÓBREGA-THERRIEN, S. M. Formação para o cuidado no curso de enfermagem: o que dizem os documentos institucionais. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. 32, p. 323–347, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13n32p323-347. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/10945. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)